Media Dona da Meo assina parceria com Netflix. Portugal está incluído

Dona da Meo assina parceria com Netflix. Portugal está incluído

A Altice assinou um acordo com o Netflix para disponibilizar o serviço nas plataformas dos operadores que detém em França, Portugal, Israel e República Dominicana. Novo acordo não compromete entrada do Zive em Portugal.
Dona da Meo assina parceria com Netflix. Portugal está incluído
DR
Sara Ribeiro 12 de junho de 2017 às 09:20

A dona da Meo anunciou esta segunda-feira, 12 de Junho, que estabeleceu uma parceria a nível global com o Netflix. Portugal, França, Israel e República Dominicana fazem parte da lista do recente acordo com a empresa norte-americana.

De acordo com o comunicado emitido pela Altice, o acordo tem a duração "de vários anos", e vai permitir que os cerca de 50 milhões de clientes que detém em todo o mundo tenham acesso à plataforma de streaming directamente através da box.

França vai ser o primeiro mercado onde a Altice vai lançar o serviço do Netflix. A partir de 13 de Junho os clientes da SFR, operadora que detém no mercado francês, vão poder aceder aos conteúdos do serviço de streaming de séries e filmes através de todos os dispositivos, incluindo box.

Para Portugal ainda não há uma data apontada, mas deverá arrancar ainda este ano. Como fonte oficial da Meo explicou ao Negócios, este novo acordo "significa que durante 2017 os clientes Mei vão poder aceder ao Netflix através da sua Meo box".

Até ao momento, a Vodafone era o único operador no mercado português que disponibilizava o serviço do Netflix através da box.

Fonte oficial da operadora liderada por Mário Vaz garante que os "clientes Vodafone vão poder continuar a beneficiar da comodidade de acederem ao serviço Netflix através das suas boxes". E sublinha que a Vodafone Portugal "foi pioneira ao integrar o Netflix na sua TV em 2015. Congratulamo-nos por confirmar o sucesso da decisão da Vodafone, com a indústria a seguir o nosso exemplo quase dois anos depois", aponta.

No mesmo comunicado, a Altice recorda que este acordo segue em linha com o investimento em conteúdos e deporto que o grupo tem feito "com as produções originais através dos estúdios Altice, da aquisição de séries e filmes e de parcerias de distribuição locais e globais".

Michel Combes, presidente executivo da Altice, sublinhou que o grupo está "entusiasmado" em lançar a parceria global com a Netflix.

"A nossa estratégia de experiência centrada nos conteúdos passa por expandir o nosso compromisso de fornecer o melhor conteúdo para os nossos clientes, combinando o serviço Netflix com a vida do cliente da Altice, tornando ambos mais atractivos", comentou o responsável da Altice.

Já Reed Hastings, presidente executivo da Netflix, acrescentou que "com esta parceria global e graças a mais de 1.000 horas de novos conteúdos originais da Netflix previstos para 2017, os clientes da Altice poderão ter acesso e desfrutar o melhor entretenimento em um só lugar".

Novo acordo não exlcui entrada do Zive em Portugal

A parceria assinada agora entre a Antice e a Netflix não trava a entrada do Zive, serviço de "video on demand", em Portugal.
Como a mesma fonte oficial da Meo sublinhou "são dois serviços distintos que não se excluem".

O objectivo da Altice passa por expandir o Zive a outros mercados onde a marca tem presença, e Portugal faz parte do mapa.

 

O catálogo do serviço deverá diferir de país para país, tendo em conta que os direitos televisivos das séries e filmes são negociados localmente.

 

O Zive vai assim concorrer com o Netflix, que entrou em Portugal em Outubro de 2015, e com o NPlay, da rival Nos, por exemplo. Com o consumo linear de televisão a cair, as operadoras têm apostado em serviços alternativos, como o de "streaming", para captar clientes.

(Notícia actualizada às 10:27 com declarações da Meo e às 14:37 com posição da Vodafone Portugal)


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub