Tecnologias Dona do Angry Birds prevê que IPO a avalie em 800 milhões

Dona do Angry Birds prevê que IPO a avalie em 800 milhões

A empresa finlandesa que produz o jogo Angry Birds espera que o IPO a avalie em 800 milhões de euros. O período de subscrição arranca na próxima segunda-feira.
Dona do Angry Birds prevê que IPO a avalie em 800 milhões
Bloomberg

A Rovio, empresa finlandesa que produz nomeadamente o jogo Angry Birds, tem como objectivo ficar com um valor de mercado na casa dos 800 milhões de euros com a entrada em bolsa. As notícias que a empresa pretendia realizar uma oferta pública inicial (IPO na sigla em inglês) surgiram já no início deste mês.

De acordo com o comunicado da empresa, citado pela Bloomberg, a companhia finlandesa pretende vender as acções com um intervalo entre os 10,25 euros e os 11,50 euros, o que lhe dará entre 802 milhões de euros e 896 milhões de euros.

A dona dos Angry Birds deve disponibilizar pouco mais de 54% da empresa no IPO, sendo que Kaj Hed, o principal accionista da Rovio, deverá manter uma participação de 36,6% na companhia. Actualmente, Hed detém uma participação de cerca de 69% na empresa, depois de há uma década ter investido mais de um milhão de euros na empresa que foi co-fundada por um sobrinho, segundo a mesma fonte.

A expectativa é que com esta operação a tecnológica angarie cerca de 30 milhões de euros.

O período de subscrição para o IPO começa na próxima segunda-feira, 18 de Setembro. A negociação dos títulos no principal índice de Helsínquia deve arrancar a 3 de Outubro.

As receitas da Rovio subiram 94% no segundo trimestre em relação ao período homólogo de 2016, para 86,2 milhões de euros, impulsionadas pelo filme Angry Birds e pela unidade de jogos.

Esta área representa 79% das receitas, contando com mais de 3.700 milhões de downloads de jogos e uma média de 80 milhões de utilizadores mensais. A Rovio tem ainda uma unidade de licenciamento de marcas como a Angry Birds, que se estreou como jogo em 2009.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub