Tecnologias Dona do Google quer ajudar investigadores a antecipar doenças

Dona do Google quer ajudar investigadores a antecipar doenças

A Alphabet, dona da Google decidiu unir esforços com duas instituições académicas para recolher dados da saúde em mais de dez mil pessoas. O objectivo é ajudar os investigadores da área médica a encontrar pistas e assim preverem as doenças.
Dona do Google quer ajudar investigadores a antecipar doenças
Bloomberg
Negócios 19 de abril de 2017 às 18:36

A Verily, antiga Google Life Sciences e que pertence à esfera da Alphabet, dona da Google, resolveu aliar-se a duas instituições académicas para ajudar na recolha de dados para ajudar na investigação de patologias. De acordo com o Financial Times (FT), a Verily concedeu financiamento para a investigação e forneceu tecnologia, incluindo smartwatches e sensores utilizados durante o sono, à Stanford Medicine e à Duke University, que lidera o estudo.

A iniciativa chama-se Project Baseline. O conjunto de voluntários vai procurar reflectir a demografia dos Estados Unidos. Cada um vai receber cerca de 400 dólares (374 euros) pela participação e vão ser seguidos durante, pelo menos, quatro anos. Os voluntários, de acordo com o jornal britânico, vão ser submetidos a vários testes ao sangue e exames para que os investigadores possam criar um perfil completo de cada paciente. Além disso, as pessoas que acederam a participar no estudo vão ser alvo de exames anuais intensivos e vão responder regularmente a inquéritos.

Os smartwatch fornecidos pela Verily vão ser usados para recolher dados em tempo real, como ritmo cardíaco, a pressão arterial e o exercício físico que é feito. E as camas dos voluntários vão estar equipados com sensores especiais para monitorizar o sono.

Jessica Mega, responsável pela área médica da Verily, citada pelo FT, aponta que os investigadores médicos estão apenas na fase inicial no que diz respeito a perceberem quais são as causas das doenças. Por isso "temos de pensar como é que as ferramentas e a tecnologia podem ajudá-los". "O Project Baseline vai ajudar-nos a descobrir como [reagem] as pessoas ao deixarem as clínicas".

Esta não é a primeira vez que a dona da Google se associa a instituições médicas. Segundo o FT, a Alphabet tem já acordo com a GlaxoSmithKline para desenvolver implantes em miniatura para tratar doenças. E tem um acordo com a Johnson & Johnson para criar robôs que façam cirurgias.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub