Imobiliário Donos do Jumbo e Axa dão ano recorde aos "shoppings"

Donos do Jumbo e Axa dão ano recorde aos "shoppings"

O investimento em centros comerciais portugueses passará os mil milhões de euros em 2018. A Axa comprou o Dolce Vita Tejo e a Immochan vai ficar com três dos “shoppings” da Blackstone.
Donos do Jumbo e Axa dão ano recorde aos "shoppings"
Está fechada uma das operações que irá coroar 2018 como o ano com o maior investimento de sempre em centros comerciais portugueses.

Os donos dos hipermercados Jumbo, através do braço imobiliário Immochan, compraram três dos quatro "shoppings" que o fundo norte-americano Blackstone tinha colocado à venda, prevendo um encaixe entre 750 e 900 milhões de euros.

A confirmação é dada por uma notificação divulgada no site da Autoridade da Concorrência, com data de 16 de Janeiro. Através da Tiekenveen BV, o grupo Auchan, de origem francesa, ficará assim com o "controlo exclusivo" do Sintra Retail Park, do Forum Sintra e do Forum Montijo. Ao que o Negócios apurou, terá desembolsado cerca de 400 milhões de euros por estes activos.

Esta aquisição representa (...) a nossa confiança na recuperação do mercado do sul da Europa. Hermann Montenegro
Responsável da Axa Investment Managers para a Península Ibérica
Não se trata de uma estreia nesta área em Portugal, uma vez que a Immochan detém já os centros comerciais com a marca Alegro em Alfragide, Setúbal e Castelo Branco. Contactada, a empresa não respondeu até ao fecho desta edição.

Fora da lista original da Blackstone fica o Almada Forum, "shopping" avaliado em cerca de 450 milhões de euros. As fontes do sector ouvidas pelo Negócios acreditam que será possível fechar a operação ainda este ano, com o retomar do processo em breve.

Janeiro deu logo o pontapé de saída para um ano em que se espera um investimento imobiliário superior a mil milhões de euros. O valor supera os cerca de 850 milhões alcançados nos últimos dois anos em Portugal no que respeita a este tipo de investimento. Nuno Nunes, responsável da área de investimento na consultora CBRE, confirma estas perspectivas do sector para 2018. E é nos arredores de Lisboa que o fluxo de investimento se faz sentir com mais força.

Esta segunda-feira, 22 de Janeiro, ficou a conhecer-se outro grande negócio: o Dolce Vita Tejo foi comprado por 230 milhões de euros pela Axa Investment Managers (AIM), que diz ter actuado em nome de clientes. Trata-se do segundo maior centro comercial a nível nacional, com 80 mil metros quadrados e 274 lojas.

"Esta aquisição representa mais uma evidência da nossa confiança na recuperação do mercado do sul da Europa", referiu o responsável para o mercado ibérico da AIM, Hermann Montenegro, em comunicado. Apesar do valor ser inferior aos 300 milhões que chegaram a ser noticiados, a Baupost e o Eurofund terão realizado mais-valias, uma vez que em Janeiro de 2015 investiram 170 milhões de euros neste "shopping" na Amadora.

A folha de vendas de centros comerciais em Janeiro pode não ficar por aqui. O Negócios sabe que a venda do Serra Shopping na Covilhã está para breve, com um encaixe na ordem dos 70 milhões de euros. A Sonae Sierra, braço do grupo Sonae dedicado aos centros comercais, segue assim a sua estratégia de alienação de património. Também o Rio Sul Shopping, no Seixal, está à venda, como avançou o Negócios em Novembro passado.


Clique na imagem para ampliar
























































(Correcção: Onde se lê que a CBRE Global Investors é a proprietária do Parque Mondego Retail Park, deve ler-se Mitiska Reim. O Negócios partiu da informação disponível no site oficial deste "shopping", que não se encontrava actualizada.)




pub