Comércio Donos do Media Markt compram quase um quarto da Fnac

Donos do Media Markt compram quase um quarto da Fnac

A aquisição permite aos alemães da Metro AG - em processo de separação com a criação da Ceconomy - colocar um pé no mercado francês e reforçar a posição na Europa perante concorrentes como a Amazon.
Donos do Media Markt compram quase um quarto da Fnac
Paulo Zacarias Gomes 26 de julho de 2017 às 11:03

O gigante alemão do retalho Metro AG, dono entre outras insígnias da grossista Makro e da cadeia de lojas de electrónica de consumo Media Markt, anunciou a compra de uma fatia de 24,33% do capital da francesa Fnac Darty, proprietária das lojas Fnac.


O negócio, avaliado em 452 milhões de euros, oferece 70 euros por acção da Fnac Darty, valor que pressupõe um desconto de 7,3% em relação ao preço de fecho das acções esta terça-feira. Apesar disso, os títulos já estiveram a ganhar esta quarta-feira, 26 de Julho, 9,11% na praça de Paris, avançando agora 3,36% para 78,05 euros.


De acordo com um comunicado
da Fnac Darty, a operação – que reporta a 30 de Junho - está sujeita a "condições regulamentares" e deverá estar concluída até ao fim de Agosto de 2017, dentro de cerca de um mês. A compradora terá a possibilidade de propor a integração de três administradores dos 12 existentes no conselho de administração da Fnac Darty.


A participação agora comprada estava até ao momento nas mãos da Artemis SA, criada em 1992 pelo empresário francês François-Henri Pinault, com activos consolidados de 30 mil milhões de euros, entre os quais se encontra uma participação na leiloeira Christie’s.


Em 2013, com a separação da Fnac do grupo Kering, a holding familiar Artemis (que comprou as lojas em 1994) tornou-se a principal accionista da cadeia de lojas de livros e electrónica fundada em 1954, levando a empresa à bolsa.


No ano passado a Fnac e a Vivendi anunciaram uma parceria estratégica, que levou à entrada da Vivendi no capital da Fnac, com 11%. O grupo comprou depois a Darty, em Novembro de 2015, por 858 milhões de euros, de onde resultou o grupo Fnac Darty, liderado desde dia 17 deste mês por Enrique Martinez.


A compra chega cinco meses depois de a Metro ter aprovado a divisão da empresa em duas, uma dedicada ao retalho alimentar e a outra à electrónica de consumo. A nova companhia Ceconomy, que ficará com a área da electrónica, deterá 10% da Metro Ag. A empresa alemã cota em Frankfurt em 9,81 euros, com uma valorização de 6,05%, a mais elevada do dia até ao momento.


"O investimento na Fnac Darty é uma grande oportunidade para a Ceconomy. Primeiro, ganhamos exposição ao muito atractivo mercado francês e, segundo, vai ao encontro da nossa ambição de reforçar a nossa posição como plataforma europeia líder para negócios ligados à electrónica de consumo," afirmou em comunicado Pieter Haas, CEO da Metro AG.

A entrada na Fnac contribui também para a consolidação do mercado a nível europeu, a braços com a concorrência da norte-americana do retalho electrónico Amazon.com


No mercado francês a Fnac tem uma quota de mercado de 23%, sendo líder no fornecimento de electrónica naquele país. No ano passado a companhia facturou 7.418 milhões de euros e lucrou 74 milhões de euros. A Fnac Darty opera actualmente mais de 660 lojas em sete formatos diferentes.


De acordo com os sites das empresas, em Portugal a Fnac conta com 26 lojas, enquanto a Media Markt explora dez estabelecimentos. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub