Banca & Finanças Duarte Lima está insolvente

Duarte Lima está insolvente

A recusa da recuperação de Duarte Lima por parte dos credores, em Abril, determinou a declaração de insolvência do antigo político em Dezembro. Em dívida, Duarte Lima tinha 31,7 milhões de euros.
Duarte Lima está insolvente
Sérgio Lemos/Correio da Manhã
Diogo Cavaleiro 27 de dezembro de 2016 às 16:23

Domingos Duarte Lima está insolvente, depois de os credores, em que o Novo Banco e a Parvalorem são mais significativos, terem recusado a sua recuperação.  

 

"Na Comarca de Lisboa, Lisboa - Inst. Central - 1ª Sec.Comércio - J3 de Lisboa, no dia 16-12-2016, pelas 15:36h, foi proferida sentença de declaração de insolvência do(s) devedor(es): Domingos Duarte Lima", indica a nota publicada no Citius no passado dia 21 de Dezembro.

 

Na semana passada, o Negócios contactou o gabinete de Duarte Lima para procurar uma reacção mas não obteve, até esta terça-feira, 26 de Dezembro (em que o Jornal Económico avançou também a notícia), qualquer posição.

 

Inicia-se desde a data da publicação da insolvência um prazo de 30 dias para a reclamação de créditos. No caso do antigo deputado, a braços com acusações da justiça brasileira de ter assassinado Rosalina Ribeiro, já houve reclamação de créditos: o total calculado no âmbito do Processo Especial de Revitalização (PER) foi de 31,7 milhões de euros. No caso do Novo Banco, são reclamados 10,9 milhões de euros a Duarte Lima enquanto a sociedade estatal Parvalorem pede 20,7 milhões de euros.

 

"Porcelanas chinesas de exportação, decoradas com esmaltes ‘Família Rosa’, representando dois imortais Taoistas de pé sobre base regular" é um dos exemplos de bens não entregues mas sobre os quais a Parvalorem tem um penhor mercantil. A grande parte é porcelana chinesa mas também há uma porcelana japonesa elencada, conforme o Negócios deu conta em Dezembro do ano passado. O pedido de entrada em PER foi em Novembro. 

 

Em Abril, foi noticiado que o Novo Banco e a Parvalorem não chegaram a acordo com o ex-político para o PER, pelo que a solução foi agora a insolvência. A instituição financeira tinha já recusado a recuperação da Dulivira, uma sociedade que era presidida por Duarte Lima, tendo a sua insolvência ser declarada em Junho passado. 

 

"É designado o dia 14-02-2017, pelas 10:00 horas, para a realização da reunião de assembleia de credores de apreciação do relatório, podendo fazer-se representar por mandatário com poderes especiais para o efeito", acrescenta ainda a nota no Citius. 




A sua opinião72
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 27.12.2016

tadinho!

E NA SUIÇA, HAVERÁ PARA LÁ ALGUNS TROCOS?

comentários mais recentes
Anónimo 03.01.2017

DO Dª DUARTE LIMA, SÓ QUERO DIZER UMA COISA. A DOENÇA QUE ELE TEVE E SUPEROU A.
E MESMO ASSIM NÃO FICOU SOSSEGADO NO SEU CANTO,AINDA MATOU?
Minha consciência não entendo.Que os credores se paguem do que ele deve.

Anónimo 30.12.2016

não sei porquê,mas não consigo acreditar que o sr ficou sem nada,sr é muito forte (bandalho).

30.12.2016

Confesso fui eu que matou a viúva do Tomé e o Lima pagou-me 4 milhões. Parte doei ao PSD e o restante pus em certificados de aforro.
Temos que nos safar que a vida não está fácil.

Anónimo 29.12.2016

Está insolvente? Mas alguém acredita nisso? Então onde é que foram parar os milhões que roubou? É preciso descaramento e conivência de muita gente para se chegar a esta situação.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub