Media E se Trump abandonasse o Twitter? Rede social poderia perder 2 mil milhões de dólares

E se Trump abandonasse o Twitter? Rede social poderia perder 2 mil milhões de dólares

Caso Trump abandonasse a sua conta do Twitter, que soma 36,2 milhões de seguidores, a rede social podia perder até 2 mil milhões de dólares, um quinto do seu valor de acordo com as contas do analista da Monness Crespi.
E se Trump abandonasse o Twitter? Rede social poderia perder 2 mil milhões de dólares
Reuters
Sara Ribeiro 18 de agosto de 2017 às 10:52

O Twitter parece ser o meio de comunicação de eleição do actual presidente dos Estados Unidos. Donald Trump recorre quase numa base diária à sua conta nesta rede social, criada em Março de 2009 e que conta actualmente com 36,2 milhões de seguidores.

Os seus tweets são vistos por milhões de pessoas e dão azo a inúmeras notícias em todo o mundo, transformando, assim, a plataforma num palco mediático. O que aconteceria se Trump abandonasse o Twitter? A rede social poderia perder até 2 mil milhões de dólares, um quinto do seu valor.

As contas são do analista da Monness Crespi Hardt & Co, James Cakmak, que explicou à Bloomberg que a saída de Trump do Twitter não levaria ao abandono em massa do número de utilizadores activos diários da plataforma. Mas caso perdesse o seu utilizador mais proeminente poderia trazer danos à rede social.

"Não há melhor publicidade gratuita no mundo do que o presidente dos Estados Unidos", apontou James Cakmak. Desde que criou a conta, Trump já publicou mais de 35 milhões de tweets.

Aliás, a influência dos comentários de Donal Trump no Twitter levaram a aplicação Trigger, que disponibiliza informações relevantes sobre os mercados financeiros, a adicionar alertas dos tweets do presidente dos Estados Unidos.

O Twitter não divulga o número total de utilizadores activos diários, mas segundo as contas do analista devem rondar os 125 milhões, um valor 30% inferior aos do Snap, por exemplo.

De acordo com os últimos dados divulgados pela empresa, o número de utilizadores diários cresceu 12% no segundo trimestre face ao mesmo período de 2016.

O analista sublinha ainda que o modelo de negócio do Twitter não enfrenta risco de perder relevância política. No entanto, considera que o "mais importante é a execução da estratégia certa, e face ao actual momento, o Twitter não aproveita a oportunidade que está à sua frente".

A empresa terminou o segundo trimestre com prejuízos de 116 milhões de dólares, acima dos 107 milhões registados no período homólogo de 2016.

As receitas caíram 5% para 574 milhões de dólares, com os proveitos da publicidade a recuarem 8% para 489 milhões de dólares, sinalizando a dificuldade de converter em receitas a frequência da rede pelos utilizadores.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 dias

"Trump já publicou mais de 35 milhões de tweets"
Não me parece...

pub
pub
pub
pub