Imobiliário Edifício mais alto de Londres vai ser construído por empresa chinesa

Edifício mais alto de Londres vai ser construído por empresa chinesa

Com ou sem Brexit, a Greenland vai continuar com os projectos de construção da Spire. A torre será a mais alta da Europa Ocidental.
Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa Como será o edifício mais alto da Europa
Negócios 07 de Novembro de 2016 às 13:14

Larry Malcic, vice-director sénior da empresa de arquitectura HOK, afirma que a construtora Greenland está a investir em Londres e que lhe ofereceu uma parte na construção da torre.

 

De acordo com a mesma fonte à Bloomberg, os objectivos do grupo Greenland passavam pela edificação de uma torre residencial de 67 andares em Canary Wharf, num investimento de 800 milhões de libras (899 milhões de euros). De acordo com um comunicado da HOK, o edifício terá 861 apartamentos

 

O edifício, com o nome Spire, posiciona-se no mercado imobiliário de luxo. Entre as várias características, a torre terá no 35º piso um spa de cinco estrelas e um bar.

 

Apesar do enfraquecimento do mercado imobiliário britânico após a votação positiva do Brexit, a empresa chinesa Greenland mantém o seu compromisso de construir a torre.

 

"Não se pode dizer que o voto do Reino Unido para sair da União Europeia não tem efeito sobre o mercado imobiliário em Londres, e que não estamos atentos a uma possível turbulência no futuro", afirma Wenhao Qian, director administrativo da Greenland Investment Ltd. A firma acredita que as potencialidades da capital britânica trarão um futuro positivo tanto para o mercado imobiliário como para a economia no geral.

 

Faisal Durrani, investigador da Cluttons, afirma que o mercado imobiliário em Londres oferece metade da oferta procurada anualmente, e que a Spire vem fazer frente à grande procura. No entanto, refere a mesma fonte, a procura recai mais sobre o imobiliário mais antigo: "apesar de um edifício ser novo, moderno e equipado com os melhores serviços de todo o tipo, não é o tipo de local onde os compradores domésticos querem morar".

 

A Bloomberg sublinha, no entanto, que cerca de metade dos compradores no centro de Londres são internacionais, pelo que a Spire pode vir a tornar-se apelativa. Espera-se que num curto prazo o edifício atraia compradores internacionais, e que só num médio ou longo prazo surjam compradores do Reino Unido.

 

A construção da Spire está prevista para 2017 e estará completa em 2020.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Gatunos Há 1 dia

Apartamentos de luxo em Londres, com um SPA de 5 estrelas e preços de 6 estrelas.

comentários mais recentes
Gatunos Há 1 dia

Apartamentos de luxo em Londres, com um SPA de 5 estrelas e preços de 6 estrelas.

pub