Energia EDP Distribuição quer 60% de contadores inteligentes até 2020

EDP Distribuição quer 60% de contadores inteligentes até 2020

Para tornar o objectivo, a EDP Distribuição e a Nos juntaram-se para lançar um novo contador assente em rede 4.5G. Uma das garantias é de que haverá poupança, “que vai ser repercutida na factura” de electricidade assim que o projecto-piloto ganhe uma dimensão comercial.
EDP Distribuição quer 60% de contadores inteligentes até 2020
Wilson Ledo 10 de julho de 2017 às 14:21

A EDP Distribuição quer que 60% dos contadores sejam inteligentes nos clientes residenciais até 2020. A posição foi defendida esta segunda-feira, 10 de Julho, pelo presidente da empresa, João Torres.

Actualmente, existem seis milhões de consumidores em Portugal na baixa tensão. Destes, um milhão têm contadores inteligentes mas só metade está a "comunicar bem".


Por isso mesmo, para atingir uma "resposta total" face ao método que está no terreno, foi lançado, em parceria com a operadora de telecomunicações Nos, um contador inteligente assente em rede 4.5G, tecnologia também conhecia como NB-IoT.


A Nos torna-se assim "o primeiro operador em Portugal" a testar a tecnologia "sobre a sua infra-estrutura de rede", "reforçando a sua liderança na Internet das Coisas", posicionou o administrador Manuel Ramalho Eanes em conferência de imprensa.


A operadora instalou duas antenas que vão suportar a rede do projecto-piloto que terá lugar na zona do Parque das Nações, em Lisboa, num total de 100 clientes até ao final do ano.


A detecção automática de falhas de energia, melhorando o tempo de resposta na monitorização, ou a mediação constante do consumo são apontadas como vantagens desta tecnologia, com maior capacidade de passar obstáculos físicos como paredes.


"Há uma poupança adicional, que vai ser repercutida na factura" da electricidade, previu ainda João Torres para quando o projecto entrar numa vertente comercial.


O valor deste investimento – onde também entram a Huawei, a Janz e a U-Blox – não foi revelado.


O lançamento do contador inteligente NB-IoT, sem fios, integra o projecto de redes inteligentes Inovgrid lançado em 2007 pela EDP Distribuição, contando com o apoio da Comissão Europeia.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 11.07.2017

É uma empresa que tem sido levada ao colo pelo Estado desde que foi fundada. Está repleta de ineficiências e excedentarismo. A gestão é medíocre ou apática e os colaboradores capturaram a organização. Podia dar 3 vezes mais lucro com metade dos colaboradores actuais. Podia inovar e expandir-se na criação de valor em inúmeras outras áreas de negócio tornado-se ainda maior e transformando-se num verdadeiro potentado que puxasse pela economia portuguesa no seu todo. Não é nada disso. Faz lembrar o monstro de corrupção, obscuridade, promiscuidade estatal e desperdício em que se tornaram algumas das maiores empresas brasileiras. E todos sabem em que é que isso deu no Brasil...

alberto9 10.07.2017

Os contadores inteligentes só servem para baixar custos, não devem ser os clientes a paga-los

pub