Energia EDP obtém mais de 3 mil milhões de euros em financiamento

EDP obtém mais de 3 mil milhões de euros em financiamento

A eléctrica liderada por António Mexia comunicou esta manhã ao mercado que “assinou um contrato de financiamento na modalidade ‘revolving’, no montante de 3.300.000.000 euros, pelo prazo de cinco anos”.
EDP obtém mais de 3 mil milhões de euros em financiamento
Bruno Simão/Negócios
Ana Laranjeiro 30 de outubro de 2017 às 07:50

A EDP assinou um contrato de financiamento superior a três mil milhões de euros no prazo de cinco anos. Este financiamento vai substituir uma linha obtida em 2014.

"A EDP – Energias de Portugal, S.A. assinou um contrato de financiamento na modalidade ‘revolving’, no montante de €3.300.000.000, pelo prazo de cinco anos, extensível por 2 anos adicionais (com consentimento dos bancos), e que permite utilizações em Euros e Dólares dos EUA. A nova linha de crédito substitui uma linha de €3.150.000.000 contratada pela EDP em 2014 com 21 bancos e que vencia em Junho de 2019, mantendo o seu propósito: suporte de liquidez do Grupo. A linha anterior não teve quaisquer utilizações, estando inteiramente disponível à data da sua substituição", refere a eléctrica liderada por António Mexia num comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), nesta manhã de segunda-feira, 30 de Outubro.

A EDP refere ainda no comunicado que esta operação foi organizada pela empresa, "na modalidade de Club Deal, contando com a participação de 22 bancos nacionais e internacionais: Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, S.A., Banco Comercial Português, S.A., Banco Santander, Bank of America Merrill Lynch International Limited, MUFJ, LtD, Barclays Bank PLC, BNP Paribas, Caixabank, S.A., Caixa Banco de Investimento, S.A., Citigroup Global Markets Ltd, Commerzbank, Credit Agricole Corporate and Investment Bank, Deutsche Bank AG, HSBC Bank PLC, Industrial and Commercial Bank of China Limited, ING Bank N.V., Intesa Sanpaolo SpA, J.P. Morgan Securities PLC, Mizuho Bank Europe N.V., The National Westminster Bank PLC, Société Générale e Unicredit Corporate & Investment Banking ("Bookrunners & Mandated Lead Arrangers"). O MUFJ, Ltd. actua também como Agente".




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

O homem vai buscar essa massa toda e não paga os €43 milhões de rombo que deu no BES lá com o hotel no Douro? Oh Mexia, paga o que deve ao BES para ver se os contribuintes pagam menos. Ah, e não esqueças de devolver as rendas também. Povo agradece. Pelintra.

Anónimo Há 2 semanas

O legado do Mexia é ter mais de 10% do PIB como dívida na EDP. Emite. Emite de novo. Emite novamente. Pagar não é com ele. Alguém disse que as dívidas não são para pagar...Mexia é um bom exemplo disso.

Camponio da beira Há 2 semanas

Cá está a empresa lider da divida sempre a aumentar.

Saber mais e Alertas
pub