Obrigações EDP paga menos que o Estado para emitir a 10 anos

EDP paga menos que o Estado para emitir a 10 anos

A eléctrica suportou um custo de 1,59% para colocar obrigações a 10 anos, o que se situa abaixo dos 1,93% suportados pela República na semana passada numa emissão similar.
EDP paga menos que o Estado para emitir a 10 anos
Bruno Simão
Nuno Carregueiro 14 de novembro de 2017 às 14:33

A EDP financiou-se esta terça-feira, 14 de Novembro, no mercado com a emissão de títulos a 10 anos, conseguindo uma taxa de juro inferior à suportada pela República quando na semana passada colocou Obrigações do Tesouro com a mesma maturidade e à taxa mais baixa de sempre.

 

De acordo com um comunicado da empresa liderada por António Mexia, a emissão de 500 milhões de euros ficou fechada com um cupão de 1,5%, a que corresponde uma yield de 1,59%.

Segundo os dados revelados pela Bloomberg, o "spread" da emissão ficou fechado em 73 pontos base, o que já apontava para uma taxa em redor de 1,6%, dado que a "midswap" a 10 anos do euro está hoje nos 0,876%.


"Esta emissão destina-se a financiar as necessidades decorrentes da actividade normal da empresa, permitindo alongar o seu prazo de maturidade e reforçar a flexibilidade financeira", refere o comunciado da EDP enviado à CMVM.
 

Assim, a EDP conseguiu financiar-se a uma taxa substancialmente inferior à da República Portuguesa. Na semana passada o IGCP colocou 1,25 mil milhões de euros, com a "yield" média a situar-se nos 1,939%, o que representa o custo de financiamento mais baixo de sempre para o Estado em títulos a 10 anos.  

 

As três principais agências de rating classificam a dívida da EDP no primeiro nível acima de "lixo" (BBB-). Quanto à dívida portuguesa, apenas a S&P atribui um rating idêntico.

 

O baixo custo de financiamento da EDP nesta emissão estará relacionado com a procura elevada por parte dos investidores, já que as ordens superaram os 1,6 mil milhões de euros, o que representa mais de três vezes o volume em oferta.

 

A forte procura reflectiu-se no "spread", que no início da operação situava-se entre 90 a 95 pontos base, desceu para entre 75 e 80 pontos base e no final fixou-se nos 73 pontos base.  

 

Também na semana passada a Galp Energia emitiu 500 milhões de euros em dívida a 5 anos, com um custo abaixo de 1%.

Os bancos que estão incumbidos de gerir a operação da EDP são o Barclays, o BNP, o CaixaBank, o CaixaBI, o Citi, o Mediobanca, o MUFG e o Unicredit. 

Em Junho deste ano, a EDP emitiu dívida em dólares. Foram mil milhões de dólares, numa operação a sete anos, com uma taxa de cupão de 3,625%. No equivalente em euros, a taxa de cupão foi de 1,5%, revelou na altura a empresa liderada por António Mexia (na foto).

(notícia actualizada com comunicado da EDP)

 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

estão a pedir agora antes que os juros aumentem e aproveitam para pagar dívida com juros mais altos, tal como o estado têm feito

EDP ,SAUDAVEL ? Há 1 semana

Com uma divida que ronda os 17.000 milhoes, tem um financiamento aprovado de 3.300 milhoes pediu msis 500 milhoes. E e saudavel? Prefiro açoes Mota Engil .

surpreso Há 1 semana

A EDP é uma empresa saudável.O Estado,não tanto e a piorar

pub