Energia EDP Renováveis garante contrato para venda de energia de seis parques eólicos em Itália

EDP Renováveis garante contrato para venda de energia de seis parques eólicos em Itália

Com estes contratos a empresa já garantiu mais de 65% do objectivo de adições de capacidade global para o período 2016-2020.  
EDP Renováveis garante contrato para venda de energia de seis parques eólicos em Itália
Nuno Carregueiro 23 de dezembro de 2016 às 08:30

A EDR Renováveis anunciou esta sexta-feira, 23 de Dezembro, os resultados do leilão de energia em que participou em Itália, onde garantiu contratos a 20 anos para a venda da produção a ser gerada por 6 parques eólicos com capacidade total de 127 MW.

 

Num comunicado enviado à CMVM, a empresa liderada por Manso Neto diz que "os projectos eólicos estão localizados no sul de Itália, e a instalação dos mesmos deverá ocorrer em 2018", sendo que os contratos reforçam "o seu perfil de baixo risco e a sua estratégia de crescimento baseada no desenvolvimento de projectos competitivos com visibilidade de longo-prazo".

 

Segundo a empresa, "a electricidade gerada por estes parques eólicos será vendida no mercado e se o preço de mercado for inferior ao preço de referência assegurado no leilão, a diferença será garantida pelo Gestore dei Servizi Energetici ("GSE")".

 

A EDP Renováveis adianta que já assegurou mais de 0,5 GW de projectos a serem adicionados na Europa no âmbito do seu Plano de Negócio para 2016-2020 e que "tem assegurados mais de 65% dos 3,5 GW do objectivo de adições de capacidade global para o período 2016-2020".

 

As acções da EDP Renováveis caem 0,41% para 5,861 euros.  




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar