Energia EDP Renováveis produz mais 9% de electricidade no primeiro semestre

EDP Renováveis produz mais 9% de electricidade no primeiro semestre

As novas centrais eólicas e o vento a soprar mais forte contribuíram para o crescimento da produção, principalmente na América do Norte.
EDP Renováveis produz mais 9% de electricidade no primeiro semestre
André Cabrita-Mendes 11 de julho de 2017 às 18:34
A produção de electricidade da EDP Renováveis subiu 9% no primeiro semestre face a período homólogo. O aumento da produção cresceu à boleia de novas centrais eólicas e pelo facto do vento ter soprado mais, com o recurso eólico a crescer um ponto percentual para os 34%.

Os dados foram divulgados esta terça-feira, 11 de Julho, em comunicado enviado à CMVM.

A produção recuou, contudo, tanto em Espanha (-7%) como em Portugal (-12%), impactada por comparação devido ao "recurso eólico excepcional" que teve lugar no primeiro trimestre do ano passado.
 
Nos países do bloco denominado Resto da Europa a produção cresceu 6%, mas no total da Europa a produção acabou por recuar 5%.

Já na América do Norte, a produção cresceu 21%, alavancada pelos crescimentos nos Estados Unidos (17%) e Canadá (13%). Esta subida deveu-se ao "crescimento da capacidade instalada e ao superior factor de utilização" das centrais eólicas. No Brasil a produção subiu 53% com as novas centrais eólicas.

No total, a produção de electricidade da EDP Renováveis subiu 9% para 14.546 gigawatts hora.

O portefólio da EDP Renováveis cresceu em 707 megawatts nos últimos 12 meses, com a maioria localizado na América do Norte (628 MW) e o restantes 79 MW na Europa.

A EDP Renováveis tem actualmente 633 MW em fase de construção, dos quais 502 MW estão localizados nos Estados Unidos. Já no Brasil estão em construção 127 MW dos projectos eólicos Jau & Aventura.

A companhia gere actualmente um portefólio de 10,4 gigawatts em 11 países. A Europa representa 50%, enquanto a América do Norte representa 48% e o Brasil, 2%.

A EDP Renováveis divulga os seus resultados semestrais no dia 26 de Julho antes da abertura da bolsa de Lisboa.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub