Energia EDP: Seca faz disparar custos de electricidade vendida em mais de 50%

EDP: Seca faz disparar custos de electricidade vendida em mais de 50%

Segundo as contas da eléctrica portuguesa, a electricidade produzida pelas hídricas está reduzida a metade do valor de um ano médio e a 40% face ao ano passado devido às medidas de poupança para fazer frente à seca.
EDP: Seca faz disparar custos de electricidade vendida em mais de 50%
Adelino Oliveira/EDP
Negócios 22 de novembro de 2017 às 10:19
O recurso a outras fontes de produção de electricidade que não a hídrica, devido aos efeitos da seca prolongada que obrigam à poupança de água nas albufeiras, está a fazer aumentar os custos da EDP, que contabiliza que nos primeiros nove meses do ano o custo médio da electricidade vendida subiu 53% em relação ao período homólogo, segundo afirmou à Antena 1.

A estratégia de poupança de água nas albufeiras das barragens leva a que a electricidade produzida pelas hídricas esteja reduzida a metade do valor de um ano médio e a 40% face ao ano passado. "Tem os seus custos, tanto económicos como para o ambiente," reconhece Vítor Silva, responsável pela gestão da operação das centrais hídricas da EDP Produção, 

Em consequência, as centrais a gás natural duplicaram a produção e a geração de electricidade a partir de carvão também aumentaram. Até Setembro, as emissões de dióxido de carbono (CO2) aumentaram 40% na Península Ibérica, acrescenta a Antena 1.

Apesar de na barragem de Castelo de Bode, devido a ter sido limitado o funcionamento da central eléctrica, o cenário ser mais tranquilo – "confortável", nas palavras de Vítor Silva - há outras barragens onde, por o nível de água estar baixo, a situação é de vigilância. São os casos de Vilar-Tabuaço, Póvoa, Santa Luzia, Aguieira e Caldeirão.

(notícia corrigida às 13:11, com atribuição dos dados à EDP)



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 3 semanas

Faz todo sentido!

Mas, INEXPLICAVELMENTE, o preço da água mantem-se inalterado !?!?!?!?! Como se não bastasse, para incentivar o DESPERDICIO, os xuxas criaram a "tarifa social da água" ?!?!?!?
Só mesmo neste sitio de MERD* atrasado... TUDO AO CONTRARIO!

Anónimo Há 3 semanas

Oh Mexia, vê lá se acabas com os patrocinios e a publicidade em todos os jornais para ver se não publicam as tuas aventuras pelas Angolas, Galps, BCPs e as grandas compras de obras de arte, que nunca pagas! Assim sobra mais para pagar dividendos.

Guedes Há 3 semanas

Deve ser verdade. E as ações nem mexiam...

Anónimo Há 3 semanas

DEus escreve bem, por linhas tortas: esta empresa é uma das maiores parasitas da economia portuguesa sempre com lucros fabulosos com o preço mais elevado da electricidade da europa q cobra a empresas e particulares. Pois está hora, de ver as suas margens de lucros diminuírem com a seca e aumento do custo na produção electrica, mesmo explorando, cm explora, todos os consumidores em Portugal. Prova lá do teu veneno...

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub