Energia EDP, Galp e REN voltam a pagar taxa extraordinária em 2017

EDP, Galp e REN voltam a pagar taxa extraordinária em 2017

A polémica medida vai vigorar pelo quarto ano consecutivo. A CESE tem sido bastante criticada pelas companhias e vários processos decorrem em tribunal.
EDP, Galp e REN voltam a pagar taxa extraordinária em 2017
André Cabrita-Mendes 14 de Outubro de 2016 às 13:35
As grandes energéticas portuguesas vão voltar a pagar em 2017 a Contribuição Extraordinária sobre o Sector Energético (CESE). A EDP, Galp e a REN voltam a ser chamadas a pagar esta taxa pelo quarto ano consecutivo, segundo a proposta final do Orçamento do Estado para 2017 a que o Negócios teve acesso.

A CESE nasceu em 2013 para entrar em vigor em 2014. O seu objectivo é contribuir para a redução da dívida tarifária - actualmente nos cinco mil milhões de euros - e financiar políticas sociais e ambientais do sector energético.

As estimativas iniciais apontavam para uma factura anual a chegar aos 150 milhões: EDP (61 milhões), Galp (35 milhões) e REN (25 milhões).

A medida já chegou inclusivamente aos tribunais, tanto a Galp como a REN seguiram a via judicial. Em Janeiro deste ano saiu a primeira decisão, com o tribunal arbitral a dar razão ao Estado em detrimento da REN. Mas vários outros processos da REN, que tem pagado a CESE, e da Galp, que recusou pagar a taxa, continuam a decorrer em tribunal.

A EDP tem pagado a taxa e rejeitou ir para tribunal. Mas a energética tem se feito ouvir nas suas críticas públicas à CESE. Em Maio, António Mexia voltou a insistir na "redução o mais depressa possível" da taxa, que até poderá ser "progressiva".

"Gostaríamos que os sinais [de mudança] fossem muito claros, rápidos. Achamos que é urgente e indispensável", disse o presidente da EDP, meses antes do Governo decidir prolongar a CESE por mais um ano.

(Actualizada às 13:45)



A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Por acaso é mentira, pois a Galp nunca pagou e diz que nao tem de pagar , tal como faz com os trabalhadores, a quem tirou as condiçoes de trabalho ao pessoal dos turnos e pronto, o governo está feito com isto pois só devolve á funçao publica

Anónimo Há 3 semanas

Por acaso é mentira, pois a Galp nunca pagou e diz que nao tem de pagar , tal como faz com os trabalhadores, a quem tirou as condiçoes de trabalho ao pessoal dos turnos e pronto, o governo está feito com isto pois só devolve á funçao publica

Anónimo Há 3 semanas

Por acaso é mentira, pois a Galp nunca pagou e diz que nao tem de pagar , tal como faz com os trabalhadores, a quem tirou as condiçoes de trabalho ao pessoal dos turnos e pronto, o governo está feito com isto pois só devolve á funçao publica

1 SÓ PAFAS MIL NIKS Há 3 semanas

O INTRUJÃO DE SERVIÇO APARCE COM MUITOS NIKS DIFERENTES PARA PARECER MUITOS- O CA-NALHA ANDA PARA AQUI A SOLDO DA PAFAS NUMA CORRERIA LOUCA POR TODOS OS CANTOS DESTE PASQUIM A DEBITA4 PORCARIA.

O MESMO IP, MIL NIKS !

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub