Automóvel Efeito Trump: Ford suspende fábrica no México e investe 700 milhões no Michigan

Efeito Trump: Ford suspende fábrica no México e investe 700 milhões no Michigan

Os alertas de Trump sobre o agravamento de impostos a empresas que deslocalizem produção para fora dos Estados Unidos estão a surtir efeitos.
Efeito Trump: Ford suspende fábrica no México e investe 700 milhões no Michigan
Nuno Carregueiro 03 de janeiro de 2017 às 16:38

A Ford tornou-se na última grande empresa norte-americana a cancelar os seus planos para transferir produção dos Estados Unidos para outros países, sinalizando que as ameaças do presidente eleito às empresas que o façam estão a surtir efeito.

 

A construtora automóvel anunciou esta terça-feira, 3 de Janeiro, que decidiu suspender a construção de uma nova fábrica no México, que representava um investimento de 1,6 mil milhões de dólares.

 

Em alternativa, a Ford vai investir 700 milhões de dólares (672 milhões de euros à cotação actual) para expandir a capacidade da fábrica que tem em Flat Rock, no Michigan. Serão criados 700 postos de trabalho na unidade norte-americana, onde serão desenvolvidos automóveis autónomos e eléctricos. Já a próxima geração do Ford Focus será produzida na unidade mexicana de Hermosillo. O actual Focus é fabricado em Michigan, sendo que esta unidade vai em contrapartida receber sete novos modelos de carros eléctricos.

 

Esta decisão surge depois das várias ameaças de Donald Trump de que iria aumentar os impostos às empresas norte-americanas que invistam fora do país em detrimento do território nacional. A General Motors foi o último alvo. "Produzam nos EUA ou paguem enormes impostos aduaneiros", afirmou o presidente eleito no Twitter, o palco até agora privilegiado para passar a sua mensagem.


 

O CEO da Ford, Mark Fields, disse à CNN que este investimento no Michigan é um "voto de confiança" no novo ambiente de negócios que está a ser criado por Donald Trump, bem como na economia norte-americana.

 

Ainda assim, o CEO da construtora automóvel assegurou que esta decisão não foi tomada depois de qualquer negociação com o presidente eleito dos Estados Unidos. "Não fizemos nenhum negócio com Trump. Fizemos o nosso negócio", assegurou Fields, que comunicou a decisão da companhia a Trump e ao seu vice-presidente esta manhã.

 

Durante a campanha, Trump tinha criticado abertamente a Ford pode decidir investir no México, prometendo que iria aplicar uma taxa de imposto de 35% nos automóveis fabricados no México e vendidos nos EUA.

 

A Ford emprega 85 mil pessoas nos EUA e apenas 8.800 no México.

Assim que foi conhecida a decisão da Ford, o peso mexicano acentuou a tendência negativa, desvalorizando perto de 1% face ao dólar. 





A sua opinião40
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Slater 03.01.2017

Fernando Nabais
Até parece que os USA não estão muito melhor agora que há 8 anos em todos os domínios??!!
E prepare-se para o efeito boomerang... Não vai tardar!

comentários mais recentes
Telmo 04.01.2017

Coitado da Trampa ainda não é presidente e já começa a destruir os EUA, eu jamais comprarei trampa, produtos americanos jamais, jamais.

Anónimo 04.01.2017

Comparo o efeito Trump sobre a economia americana < que ainda nao e ' presidente> , com o outro que comprou a Viagra e nao precizou toma-la ; bastou mete-la no bolso , poz logo o bicho em pe' de gerra. Os canhotos geringoncos odeiam-no!

Anónimo 04.01.2017

Pertinaz, Portugal acabou!
Ficas com os pensionistas, os call centers (que está previsto desaparecerem em 4 anos com a AI) e os funcionários publicos.
Tudo o resto (industria, serviços, MultiNacionais) operam de Espanha!

pertinaz 04.01.2017

TRUMP DIZ MUITOS DISPARATES

MAS INDUZ COMPORTAMENTOS QUE PODEM POSITIVOS NO LONGO PRAZO

POR CÁ PRECISAMOS DE UM DISCURSO MAIS ASSERTIVO QUANTO A ESPANHA

AS MULTINACIONAIS "MATAM" OS QUADROS MÉDIOS/SUPERIORES E MANDAM TUDO PARA ESPANHA

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub