Concorrência & Regulação Elisa Ferreira e Máximo dos Santos assumem cargos no Banco de Portugal a 4 de Setembro

Elisa Ferreira e Máximo dos Santos assumem cargos no Banco de Portugal a 4 de Setembro

Os responsáveis, que receberam 'luz verde' após as suas audições parlamentares há cerca de dois meses, vão assumir os cargos a partir de 4 de Setembro de 2017, especifica o comunicado do Conselho de Ministros de hoje.
Elisa Ferreira e Máximo dos Santos assumem cargos no Banco de Portugal a 4 de Setembro
Miguel Baltazar
Lusa 24 de agosto de 2017 às 15:06

O Governo oficializou hoje as nomeações de Elisa Ferreira e Luís Máximo dos Santos para o cargo de vice-governadores do Banco de Portugal (BdP), e de Luís Laginha de Sousa e Ana Paula Serra para administradores do banco central.

 

Os responsáveis, que receberam 'luz verde' após as suas audições parlamentares há cerca de dois meses, vão assumir os cargos a partir de 4 de Setembro de 2017, especifica o comunicado do Conselho de Ministros de hoje.

 

Em Junho, quando esteve no parlamento, Elisa Ferreira, responsável pela supervisão bancária no BdP, realçou que durante o último ano houve um reforço do sistema bancário, nomeadamente em entidades como a CGD, BCP e BPI, faltando vender o Novo Banco e estabilizar o Montepio.

 

"Falta estabilizar um banco, que não é sistémico, mas é prioritário, que é a Caixa Económica Montepio Geral", afirmou Elisa Ferreira durante a audição no parlamento no âmbito da sua promoção a vice-governadora do banco central português.

 

A responsável também sublinhou que "falta terminar a venda" do Novo Banco, mostrando-se confiante na conclusão do processo.

 

De resto, Elisa Ferreira disse aos deputados que integram a Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa (COFMA) que, actualmente, "a grande diferença entre a banca portuguesa e a banca europeia são os activos não produtivos [NPL]", que levam à necessidade de reconhecimento de elevadas imparidades, o que explica a diferença de rentabilidade face aos congéneres europeus.

 

Por seu turno, Máximo dos Santos afirmou aos deputados que há melhorias ao nível do sistema financeiro português, sublinhando, contudo, que ainda há questões em aberto, como é o caso do impacto da venda do Novo Banco sobre o Fundo de Resolução.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 24.08.2017

que bando de penetras. comecam as jogadas de xadrez politicas. vao assinar contrato ou termina o tacho quando termina o governo?

Ok! Outra peça já posicionada... 24.08.2017

As raposas a guardar o dinheiro dos Tugas, ou será o dinheiro do PS.
Em primeiro lugar os irmãos da confraria dos aventais, pois os Tugas são galinhas para depenar ou quiça vacas para ordenhar.
Mas eles, as raposas, são seres superiores que todos devem cantar hossanas e prestar vassalagem...

pub