Transportes EMEL muda bicicletas para não roubar lugar a carros

EMEL muda bicicletas para não roubar lugar a carros

Pelo menos 15 estações do sistema de bicicletas partilhadas em Lisboa estão a ser alteradas, avança o Público. Houve queixas dos moradores e a EMEL está a procurar não retirar lugares de estacionamento, mesmo que o impacto fosse em 0,01% do total.
EMEL muda bicicletas para não roubar lugar a carros
Sérgio Lemos/Correio da Manhã
Negócios 01 de setembro de 2017 às 09:38

A EMEL - Empresa Municipal de Mobilidade de Lisboa – está a retirar estações já instaladas do sistema de bicicletas partilhadas para não roubar lugares de estacionamento, noticia o jornal Público desta sexta-feira, 1 de Setembro.

Depois de dois anos a negociar com a câmara e juntas de freguesia a localização das estações do sistema, apelidado de Gira, a EMEL está agora a "reavaliar" os sítios escolhidos.


"Estamos à procura de novas soluções", confirmou Helena Carvalho, directora de Institucionais e Cidadania da EMEL, justificando a decisão com "as pressões de estacionamento" e queixas de moradores.


O Público diz que pelo menos 15 estações de bicicletas partilhadas estão a ser mudadas de sítio. Duas delas no Bairro de São Miguel, em Alvalade, com capacidade para 24 bicicletas porque aí se perderiam cinco lugares de estacionamento.


As 140 estações previstas para Lisboa – com capacidade de 1.410 bicicletas – iriam afectar 0,01% do estacionamento, o correspondente a 252 lugares, uma perda que é olhada como "excessiva".


O sistema de partilha de bicicletas está a funcionar em fase de testes no Parque das Nações, com 10 estações e 100 bicicletas.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Olharapo Há 3 semanas

Xuxalismo é assim mesmo !

Anónimo Há 3 semanas

Salazar foi, na verdade, grande amigo de Portugal e dos Porugueses.. É a História que o diz..

Anónimo Há 3 semanas

Émel é, mas é para eles, filhos de fascistas, de falsos vendedores ambulantes, de contranbandistas... Ainda dizem mal de Salazar. Salazar era uma democrata. Fascitas eram os seus lacaios e oportunistas rurais e urbanos, que dele se serviram e que, pelos vistos, deixaram muita semente...

Anónimo Há 3 semanas


Que seria dos governantes da maralha sem o voto dos fracos, dos pobres de espírito, dos excluídos e dos sem-abrigo ?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub