Empresas Empresa chinesa investe 64 milhões em complexo de saúde e bem-estar em Estremoz

Empresa chinesa investe 64 milhões em complexo de saúde e bem-estar em Estremoz

Uma empresa de capitais chineses prevê investir cerca de 64 milhões de euros na construção de um complexo residencial na área da saúde e bem-estar em Estremoz (Évora), disse hoje o presidente do município, Luís Mourinha.
Empresa chinesa investe 64 milhões em complexo de saúde e bem-estar em Estremoz
Lusa 15 de janeiro de 2018 às 11:49

O autarca indicou à agência Lusa que o empreendimento, denominado "Concorde Enclave" e cujas obras devem começar este ano, representa "o maior investimento de sempre em Estremoz", estando prevista a criação de cerca de 200 postos de trabalho, após começar a funcionar.

 

Luís Mourinha adiantou que o complexo vai ser construído num terreno a disponibilizar pelo município, situado entre o parque de feiras e o Estádio Municipal de Estremoz, no distrito de Évora.

 

O investimento é da responsabilidade da empresa Prospect Time International Investment (Portugal), Lda., com sede em Elvas, que tem como empresa-mãe a Prospect Time International Investment Limited, com sede em Hong Kong, China.

 

O presidente do município explicou que o "Concorde Enclave" inclui um centro de saúde e bem-estar, centro de negócios, comércio e serviços industriais relacionados com a hotelaria, centro de entretenimento, complexo residencial, centro médico e clínicas, restaurante e um centro de apreciação de artes.

 

Segundo o autarca, o conceito de design para o espaço do "Concorde Enclave" consiste em ser uma área "amiga do ambiente", equipada com as "últimas inovações mundiais" em matéria de inteligência artificial e novas tecnologias.

 

O acordo de colaboração entre a Câmara de Estremoz e a Prospect Time International Investment (Portugal) Lda. foi aprovado, por unanimidade, na mais recente reunião do executivo municipal.

 

O acordo prevê que o município disponibilize uma parcela de terreno, até ao máximo de sete hectares de área, enquanto a empresa fica responsável por efectuar o projecto e instalar o complexo residencial na área da saúde e bem-estar.

 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
JCG 15.01.2018

Se investir mesmo - do seu - e respeitar as leis portuguesas, empregar portugueses... pode ser positivo. Mas duvido que seja assim... Os chineses 1º exportaram bugigangas; agora querem exportar chineses... cuidado com as relações entre um elefante e uma formiga... nem há espaço para a ponta da tromb

Mr.Tuga 15.01.2018

Só mesmo cá na pocilga da Europa....

Empresa chinoca a investir esta massa toda em "complexo saude e ..."....

Ah, ah, ah, ah, ah, ah....

Só falta receber incentivos do chulaestado e ser considerado "PIN"?!?!?
PATETICOS!
Num pais a SERIO já estava sob investigação!!

Tereza economista 15.01.2018

A degradação da qualidade de vida em lisboa e Porto leva á deslocalização de Unidades de Saúde privadas para o Interior, estando previstas várias, Estremoz, Sabugal, Mogadouro, Covilhã, etc. O ara puro do interior cura as doenças respiratórias.

Anónimo 15.01.2018

Mais um projecto fantoche dos chineses.... ainda não vi nenhum investimento chinês em Portugal que fosse sério excepto quando compram empresas já a funcionar.... isto é palha para burro comer...e dar a quem quiser...

pub