Empresas Empresa de Leiria imprime “Mini Marcelo” em 3D

Empresa de Leiria imprime “Mini Marcelo” em 3D

Duas réplicas do Presidente da República em material cerâmico vão adornar o Palácio de Belém. Veja o vídeo sobre a produção da CODI, desde a digitalização aos acabamentos do boneco presidencial.
Empresa de Leiria imprime “Mini Marcelo” em 3D
António Larguesa 13 de junho de 2017 às 18:42

Duas pequenas estatuetas de Marcelo Rebelo de Sousa, impressas a três dimensões (3D) pela CODI, estão na Zona Industrial de Marrazes, no concelho de Leiria, à espera de luz verde da Presidência da República para seguirem para o Palácio de Belém, em Lisboa.

 

Menos de um mês após ter digitalizado o chefe de Estado, à margem do 14.º Encontro Nacional de Inovação da COTEC, realizado em Matosinhos, a empresa liderada por Moisés Domingues já imprimiu os dois bonecos à escala – um com 35 e outro com 25 centímetros – e está agora a "produzir uma base em impressão 3D, que servirá como caixa".

 

O director de marketing da CODI, Francisco Aguiar, disse ao Negócios que está "a aguardar a confirmação para uma audição" em Belém, para mostrar ao Presidente eleito em 2016 o resultado do serviço "Mini Me", um sistema de impressão 3D em material cerâmico, cuja produção pode demorar entre oito e dez dias úteis. A empresa, fundada em 1995 e detida pelo grupo ínCentea desde o início desta década, aproveitou o Dia de Portugal para partilhar um vídeo sobre o fabrico do "Mini Marcelo".

 

 

O processo de digitalização começou com o Presidente da República a girar numa plataforma, enquanto o "scanner" gerava o ficheiro tridimensional no computador. Seguiu-se o trabalho de edição gráfica, a impressão e os acabamentos. "A captação de imagens ficou bastante boa. No entanto, é sempre necessários efectuar algumas correcções básicas e comuns em texturas, sombras e cores", detalhou o responsável da empresa leiriense, que opera também nas áreas do fabrico aditivo e do software 3D.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub