Web Summit Empresa de videojogos Chilltime espera investidores para maior projecção internacional

Empresa de videojogos Chilltime espera investidores para maior projecção internacional

A Chilltime, uma empresa portuguesa de jogos de estratégia 'online', espera criar contactos e encontrar investidores para projectar o seu negócio internacionalmente com a sua presença na Web Summit, em Novembro, apesar de já lhe ser reconhecido prestígio além-fronteiras.
Lusa 25 de Outubro de 2016 às 10:15

Foi a paixão e o conhecimento pelas redes sociais e por jogos de estratégia que levou Daniel Vila Boa, nascido na África do Sul, a criar em Portugal uma empresa que alia as duas vertentes.

 

A Chilltime nasceu, assim, em 2010, mas foi só em 2014 que registou o seu maior crescimento, com uma comunidade internacional mais consolidada a participar no seu primeiro e principal jogo de estratégia, o World War Online.

 

Com equipas representantes do seu país, o jogo consiste na conquista de capitais mundiais, através de um exército e batalhas virtuais.

 

O campeonato desenvolve-se em três temporadas, cada uma delas com a duração de três meses, para, no final, os melhores países classificados disputarem uma prova final. Os vencedores recebem medalhas reais que são, depois, enviadas pela empresa para as moradas dos jogadores.

 

Com representação em mais de uma centena de países, Daniel assegura que o World War Online "é um jogo de referência na comunidade de videojogos internacional".

 

Apesar de o sucesso internacional ser já evidente, a empresa quer, contudo, crescer ainda mais e, para isso, Daniel Vila Boa conta com a Web Summit, uma vez que a Chilltime é uma das 66 'start-ups' eleitas para representar Portugal no evento, que se realiza em Novembro, em Lisboa.

 

"É importante para nós porque a Web Summit traz pessoas de diversas áreas. Vamos ter média internacional, investidores internacionais e parceiros de negócios internacionais, ou seja, a nossa presença vai permitir criar contacto com pessoas que têm experiência em alavancar empresas de jogos para um patamar internacional e ajudar-nos a criar uma empresa de relevo em Portugal", afirmou Daniel Vila Boa.

 

Apesar de se assumirem como uma empresa auto-sustentável, cujo lucro financeiro é garantido pelos jogadores participantes que investem no aperfeiçoamento das suas tácticas, uma vez que o World War Online é gratuito, Daniel reconhece a importância acrescida de novos investidores entendidos na área.

 

"Sentimos que a entrada de investidores que têm conhecimento na área e que já conseguiram levantar empresas a nível internacional podia trazer-nos benefícios financeiros e de conhecimento para acelerar o nosso processo até para o segundo jogo que já estamos a desenvolver [Epic Strategy Game]", sustentou.

 

Orgulhoso pela presença num dos maiores eventos tecnológicos do mundo, o fundador da Chilltime prometeu "representar bem Portugal" e lembrou que também no nosso país há muito talento na área.

 

A Web Summit é uma conferência global de tecnologia que decorrerá este ano em Lisboa (e nos dois anos seguintes, com possibilidade de mais dois anos), onde são aguardados mais de 50.000 participantes, de mais de 150 países, incluindo mais de 20.000 empresas, 7.000 presidentes executivos, 700 investidores e 2.000 jornalistas internacionais.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub