Web Summit Empresa portuguesa recruta trabalhadores para Web Summit

Empresa portuguesa recruta trabalhadores para Web Summit

Uma start-up portuguesa abordou a organização da Web Summit em Junho e tornou-se na única empresa nacional a recrutar para os irlandeses, que escolheram Lisboa para receber um dos maiores eventos de tecnologia.
Empresa portuguesa recruta trabalhadores para Web Summit
Lusa 28 de Outubro de 2016 às 11:48
Tiago Moreiras, da Landing.jobs, contou à agência Lusa que a colaboração surgiu porque a empresa decidiu "arriscar e abordar a Web Summit sem qualquer certeza ou garantia de que poderia resultar, uma vez que partiu de iniciativa própria".

"E estamos bastante contentes com todo o resultado que essa abordagem produziu. A Web Summit considera que temos muito para oferecer e reconhece o nosso potencial, pelo que resultou na nossa união", disse.

Entre as mais-valias da empresa, o responsável, enumerou a capacidade para perceber a "comunidade 'tech' [ligada à tecnologia]": "Uma vez que fazemos parte dela e sabemos quais os seus problemas e como resolvê-los, mas também pelos nossos serviços que foram criados de modo a facilitar todo o processo entre a empresa recrutadora e os candidatos". 

Segundo Tiago Moreiras, a start-up, uma das 67 escolhidas para representar Portugal no evento de Novembro, consegue agilizar o processo de recrutamento, ao focar-se na "atracção de candidatos que tenham o perfil exacto que a empresa procura, assegurando que existe um 'fit' (adequação) entre empresa e candidato". 

Em Junho passado, a Landing.jobs organizou, pelo segundo ano consecutivo, um evento para "unir empresas e candidatos internacionais num único espaço de 'networking' (contactos) e alguma animação".

Este ano participaram mais de 1.200 candidatos e 60 empresas.

Actualmente os lugares disponibilizados para o Web Summit podem ser encontrados na morada https://landing.jobs/at/web-summit, com Tiago Moreiras a prever que possam abrir muitas mais vagas com a abertura de um escritório em Lisboa, na zona do Beato.

"Esta é uma excelente oportunidade, não só para a quantidade de talentos que a Europa tem para oferecer, mas também porque estamos a mostrar que Portugal é um país em que vale a pena investir", concluiu à Lusa.

A Web Summit é uma conferência global de tecnologia, que se transferiu de Dublin para Lisboa, e na qual são esperados 50.000 participantes de mais de 150 países, incluindo mais de 20 mil empresas, sete mil presidentes executivos e dois mil jornalistas internacionais.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub