Empresas Empresas portuguesas receberam mais de mil milhões do BEI em 2016

Empresas portuguesas receberam mais de mil milhões do BEI em 2016

Mais de dois terços do financiamento da instituição em Portugal tiveram como destino mais de 8 mil pequenas e médias empresas, que empregam mais de 200 mil trabalhadores.
Empresas portuguesas receberam mais de mil milhões do BEI em 2016
Reuters
André Cabrita-Mendes 16 de fevereiro de 2017 às 12:56

As pequenas e médias empresas portuguesas receberam 1.196 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento (BEI) em 2016. Este montante destinou-se a apoiar mais de 8.200 pequenas e médias empresas, responsáveis por empregar 208 mil trabalhadores em Portugal.

 

Do total de 1,7 mil milhões concedidos a projectos em Portugal, 67% destinaram-se assim a apoiar o tecido empresarial nacional. Os 1,7 mil milhões representam 1% do PIB nacional, sendo Portugal um dos 12 países europeus que mais beneficiam do apoio financeiro da instituição.  O financiamento da instituição em Portugal continua a sua tendência crescente dos últimos cinco anos, a partir dos 870 milhões de euros registados em 2012.

 

"Estes são números muito importantes, com um montante médio de 288 mil euros por empresa. Estes valores criam um impacto na economia real, significa que o apoio do BEI às PME está assim a chegar à economia real", disse o vice-presidente do BEI, Román Escolano, em conferência de imprensa em Lisboa esta quinta-feira, 16 de Fevereiro.

 

Além do financiamento às PME, a instituição também apoiou projectos na área do ambiente (15%), infra-estruturas (9%) e inovação e competências (9%). Os dados de 2016 revelam também que a que o BEI está a apostar cada vez mais no financiamento das PME: em 2012, 837 empresas receberam apoio, valor que aumentou para mais de oito mil no ano passado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub