Start-ups Empresas que queiram ser elegíveis para Programa Semente já podem concorrer

Empresas que queiram ser elegíveis para Programa Semente já podem concorrer

O governo lançou o Programa Semente, que permite que os investidores em start-ups recebam benefícios fiscais no início de 2017. As empresas que queiram ser elegíveis no âmbito desse programa já podem apresentar a sua candidatura.
Empresas que queiram ser elegíveis para Programa Semente já podem concorrer
Bruno Simão/Negócios
Ana Laranjeiro 04 de outubro de 2017 às 20:34

As empresas que queiram ser elegíveis para o Programa Semente, que concede benefícios fiscais aos investidores (que investiam montantes entre os 10 mil e 100 mil euros) já podem candidatar-se.

 

"Os benefícios fiscais atribuídos a quem investir na fase de arranque das empresas – tipicamente amigos e familiares dos fundadores – podem ir até 40% da colecta anual de IRS e até 75% do montante investido, nos três anos sucessivos ao investimento", refere o comunicado da Startup Portugal.

 

Para serem elegíveis, as empresas têm de ter menos de cinco anos, têm de ser inovadoras e com elevado potencial de crescimento, certificadas pelo IAPMEI como PME e certificadas pela Rede Nacional de Incubadoras como Startup Semente.

 

As empresas podem candidatar-se até 31 de Janeiro de 2018, para investimentos realizados de 1 de Janeiro e 31 de Dezembro de 2017.

 

Durante a cerimónia de comemoração do primeiro aniversário do Startup Portugal foi também anunciada a abertura de candidaturas à segunda fase do Vale de Incubação, um apoio pode ir até cinco mil euros e destina-se a empresas em fase de arranque.

 

O líder da Startup Portugal, Simon Schaefer, revelou ainda que esta entidade se prepara para abrir dois escritórios: um em Lisboa, outro no Porto. A Startup Portugal espera contratar mais 10 pessoas até ao final de 2018.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub