Energia Endesa reforça liderança entre os grandes clientes e indústria

Endesa reforça liderança entre os grandes clientes e indústria

A eléctrica espanhola reforçou a sua liderança entre os maiores consumidores, mas o mercado liberalizado total continua a ser dominado pela EDP. O mercado livre já superou os 4,7 milhões de consumidores.
Endesa reforça liderança entre os grandes clientes e indústria
André Cabrita-Mendes 11 de janeiro de 2017 às 06:02

A Endesa é cada vez mais líder no mercado liberalizado de electricidade entre os maiores consumidores. E está a deixar para trás os seus perseguidores directos: a Iberdrola e a EDP.

Os dados mais recentes mostram que o maior crescimento da Endesa teve lugar entre os clientes industriais. Entre Outubro e Novembro, a quota de mercado da Endesa, liderada por Nuno Ribeiro da Silva, em termos de consumo anualizado, cresceu 3,7 pontos percentuais, para 28,9%.

Na segunda posição surge a EDP, com uma quota de 24,9%, em termos de consumo, seguida da Iberdrola com 21,1% do mercado.

Os dados foram divulgados pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

A eléctrica espanhola, detida pela italiana Enel, também reforçou a sua liderança no segmento de grandes consumidores, com um crescimento de 0,9 pontos, para uma quota de 25,3%. Segue-se a Iberdrola, com 24,1% do mercado, seguida da EDP com 21,7%.

Os outros dois segmentos do mercado liberalizado são dominados pela EDP. Entre as famílias, a EDP Comercial domina o mercado com 81% do consumo anualizado. Nos pequenos negócios, a EDP volta a ser líder, com 45,1% do consumo, seguida da Endesa (20,1%) e da Ibedrola (12,6%).

No entanto, a EDP Comercial continua a ser o principal operador do mercado livre, tanto em termos de clientes (85%) como em termos de consumo (46%).

No final de Novembro, o mercado liberalizado atingiu um total de 4,72 milhões de clientes, mais 25 mil clientes face a Outubro e um aumento de quase 9% face a período homólogo.

A ERSE sublinha que a "quase totalidade dos grandes consumidores está já no mercado livre, enquanto a percentagem de domésticos continua a aumentar".

O mercado liberalizado de electricidade representou 92% do consumo total em Portugal Continental em Novembro.

Já o consumo cresceu 0,3% em Novembro face ao mês anterior e 2% face ao período homólogo, para um total de 40.319 gigawatts (GW). Actualmente, existem 22 empresas a comercializar electricidade no mercado livre.

Recorde-se que os consumidores que ainda estão no mercado regulado vão ter mais três anos para transitar para o mercado liberalizado. O prazo anterior estipulava que o período de mudança cessava no final de 2017, mas o Governo aprovou recentemente a extensão deste prazo até final de 2020.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Trocopasso 11.01.2017

Enquanto o preço do kWh for mais barato no mercado regulado, não me apetece mudar para o liberalizado.
Deixem-se lá de campanhas e promoções e faturas de aniversário. O que conta mesmo é o preço do kWh que eles oferecem e o resto é conversa.

pub