Empresas Eni não está disposta a vender participação na Galp ao preço de mercado actual

Eni não está disposta a vender participação na Galp ao preço de mercado actual

"O preço actual de mercado não vai ao encontro às nossas expectativas mínimas", afirmou o director financeiro da empresa italiana. As acções da petrolífera estão a reagir em alta superior a 5%.
Negócios 27 de abril de 2012 às 14:33
O director financeiro da Eni, Alessandro Bernini, disse hoje que a empresa não está disposta a vender os remanescentes 5% ao preço actual do mercado.

“Não quero fixar um tecto ou um limite mínimo”, disse o responsável em conferência de imprensa, citado pela Bloomberg, acrescentando que “o preço actual de mercado não vai ao encontro das nossas expectativas mínimas”.

Investidores temiam “overhang”

A Eni e a Amorim Energia chegaram a acordo recentemente sobre o processo de saída empresa italiana da Galp Energia.

A holding, detida em 55% por Américo Amorim e em 45% pelos angolanos da Esperaza, vai comprar, nas próximas semanas, uma posição de 5% que a Eni detém na Galp Energia a 14,25 euros por acção. Numa segunda fase, a Amorim Energia poderá adquirir mais 5% e terá ainda o direito de primeira oferta sobre os remanescentes 5,34%.

Quanto aos restantes 18% com que a Eni ficará (a posição actual é de 33,33%), ficou acordado que a posição pode ser vendida pela companhia italiana através de uma OPV ou através de uma colocação privada junto de investidores institucionais.

Esta parte do acordo provocou quedas fortes nas acções quando foi anunciado, uma vez que os investidores temiam que a venda das acções da Eni no mercado pressionasse em baixo a cotação das acções da petrolífera. Um risco que os analistas apelidam de “overhang” e que hoje fica mais dissipado, com as declarações do CFO da Eni.

As acções da Galp reagiram em alta superior a 5% para os 11,775 euros, estando agora a valorizar 4,8% para os 11,74 euros.



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
yupiyupi 27.04.2012

mas nada mesmo........a minha recomendaçao é esta.....enquanto a eni tiver acçoes da galp,fico com as que tenho e nao compro nem mais uma......estranho agora o facto de nem petrobras,nem sonangol fazerem nenhuma oferta à eni neste momento.....pelo que estou a ver,só mesmo o amorim se chegou á frente e isto nao me agrada nada.....a pressao sobre as acçoes da galp vao continuar a existir.....mas enfim.....façam como entenderem.....ainda esta muita coisa por esplicar nesta empresa.

Anónimo 27.04.2012


Galp está condenada aos 6,00 euros, aos minimos de 2008 que ningém tenha dúvidas vai levar algum tempo mas para lá caminha, esta subida de hoje é só uma reação aos lucros que foram apresentados hoje, depois a descida vai continuar.

Anónimo 27.04.2012


Galp está condenada aos 6,00 aos minimos de 2008 que ningém tenha dúvidas vai levar algum tempo mas vai lá caminha

Anónimo 27.04.2012

Este tipo de acordos só beneficiam o monopolismo, concertação de preços e vigarices.

ver mais comentários
pub