Media ERC dá parecer favorável à indigitação de José Vieira de Andrade para CGI da RTP

ERC dá parecer favorável à indigitação de José Vieira de Andrade para CGI da RTP

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) deu parecer favorável à indigitação do professor catedrático José Carlos Vieira de Andrade para o Conselho Geral Independente (CGI) da RTP, órgão que supervisiona a estação pública.
ERC dá parecer favorável à indigitação de José Vieira de Andrade para CGI da RTP
Lusa 04 de outubro de 2017 às 23:03

Numa nota publicada no seu 'site', a ERC informa que, na reunião desta quarta-feira à tarde, o conselho regulador considerou não ter "quaisquer dúvidas de que o Professor Doutor José Carlos Vieira de Andrade reúne as qualidades" para assumir o cargo, desde logo pela sua "indiscutível credibilidade e idoneidade pessoal" e pelo seu "riquíssimo currículo".

 

Além disso, segundo aquela estrutura, Vieira de Andrade não apresenta "quaisquer das incompatibilidades susceptíveis de obstar à sua indigitação para o cargo em referência" e que possam pôr em causa os estatutos da RTP.

 

"Em face do exposto, [...] o conselho regulador delibera dar parecer favorável à indigitação do Professor Doutor José Carlos Vieira de Andrade para membro do Conselho Geral Independente da RTP", indica a mesma informação.

 

Recordando que este parecer não tem carácter vinculativo, a ERC aponta ainda que a indigitação "não permitirá, por si só, o cumprimento" da norma dos estatutos da estação pública que estipula uma "adequada representação geográfica, cultural e de género" no CGI, devido às "dificuldades associadas à implementação desta exigência".

 

O prazo para a ERC se pronunciar sobre o nome de sobre Vieira de Andrade no CGI da RTP, proposto pelo Conselho de Opinião, terminou na segunda-feira.

 

Questionado pela Lusa sobre este atraso, o regulador dos 'media' indicou que "o 'timing' desta pronúncia é tido pela ERC como o adequado, já que permitiu o desenvolvimento de todas as diligências que considerou oportunas, para a melhor apreciação do tema".

 

Em 9 de Junho, o CGI realizou o sorteio para a saída de três membros, ou seja metade, conforme o que consta na lei, que terminam o seu mandato em 11 de Setembro.

 

Ana Lourenço (indigitada pelo Governo), Manuel Silva Pinto (Conselho de Opinião) e Álvaro Dâmaso (cooptado) terminaram o mandato, sendo que se mantêm no cargo António Feijó, até agora presidente do órgão, Simonetta Luz Afonso e Diogo Lucena.

 

Pelo Governo, foi indigitado o diplomata Seixas da Costa, nomeação sobre a qual a ERC informou, em meados de Setembro, não ter chegado a consenso devido a "incompatibilidades" com os estatutos da RTP. O outro lugar em substituição será cooptado.

 

Nascido em Coimbra, em 6 de Junho de 1949, José Carlos Vieira de Andrade é professor catedrático na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (FDUC), na área de Direito Público: Direito Constitucional (direitos fundamentais) e Direito Administrativo Geral, sendo também coordenador de doutoramento em Direito Público.

 

É também responsável pelo grupo de investigação "Crise, sustentabilidade e cidadanias", do Instituto Jurídico da FDUC. Vieira de Andrade é ainda autor de vários livros e artigos, entre os quais na área da comunicação social.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub