Aviação Erro de operação levou ao atraso de 17 voos no Aeroporto de Lisboa

Erro de operação levou ao atraso de 17 voos no Aeroporto de Lisboa

A ANA-Aeroportos de Portugal esclareceu hoje que "um erro de operação por parte da empresa de handling" no Aeroporto de Lisboa no domingo, "levou ao atraso de 17 voos para não comprometer questões de segurança". 
Erro de operação levou ao atraso de 17 voos no Aeroporto de Lisboa
Miguel Baltazar
Lusa 21 de agosto de 2017 às 08:25

"Um erro de operação por parte da empresa de handling Groundforce no Aeroporto de Lisboa, levou ao atraso de 17 voos para não comprometer questões de segurança. Numa operação efectuada por aquela empresa foram incorrectamente desembarcados alguns passageiros do voo TAP 1482 com origem em Dakar", lê-se num comunicado hoje divulgado pela ANA.

 

A empresa explica ainda que, detectado o erro, foram "de imediato implementadas medidas de segurança pela PSP e pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). A PSP procedeu à evacuação da área e à verificação de segurança, tendo sido pedido ao SEF o encerramento temporário da fronteira de partidas" do aeroporto internacional Humberto Delgado.

 

"Todos os passageiros no local foram encaminhados para a sala de chegadas de controlo de passaportes", acrescenta o mesmo comunicado.

 

Segundo a ANA, a situação foi detectada pelas 19:10 de domingo, tendo a operação no aeroporto ficado "totalmente normalizada às 21:54", quando "foi reaberta a fronteira de partidas".

 

Uma fonte do Ministério da Administração Interna tinha referido, no domingo, à agência Lusa que o problema surgiu quando o autocarro que transportou os passeiros do voo com origem em Dakar do avião até ao terminal os desembarcou numa porta destinada a passageiros provenientes do espaço Schengen, o espaço europeu de livre circulação de pessoas.

 

Assim, a zona internacional do aeroporto teve de ser isolada para as autoridades poderem proceder à verificação documental de todos os passageiros.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira 21.08.2017

A bandalheira tuga habitual...não é só nos incendios.

pub