Empresas Espanha explica a Bruxelas medidas de retaliação contra a Argentina

Espanha explica a Bruxelas medidas de retaliação contra a Argentina

Espanha apresentará hoje a Bruxelas as medidas aprovadas na sexta-feira como retaliação à nacionalização por parte da Argentina de 51% da participação da Repsol na YPF.
Negócios 23 de abril de 2012 às 10:38
O governo espanhol vai hoje apresentar aos parceiros europeus as medidas que aprovou sexta-feira contra a Argentina, no seguimento da nacionalização desta país latino-americano de 51% da participação da Repsol na petrolífera YPF.

O ministro dos Assuntos Exteriores, José Manuel García-Margallo, apresentará aos seus homólogos da União Europeia essas medidas, noticiam os jornais espanhóis.

Na sexta-feira, Espanha aprovou, em conselho de Ministros, o aumento das quotas de produção de biocombustível, o que na prática se trata de uma retaliação comercial contra a Argentina de onde era importado a maior parte do biodiesel. Dando condições para aumentar a produção interna, as importações diminuem.

Espanha quer que a União Europeia aprove, também, medidas de retaliação comercial, mas como destaca o "El Mundo", essas não deverão ser hoje discutidas. Na reunião dos líderes europeus de diplomacia deverá, apenas, ser apresentada a estratégia espanhola.

Ainda assim, Bruxelas tem mostrado descontentamento em relação à medida da Argentina. O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, declarou, na semana passada, estar "seriamente decepcionado" pela nacionalização e exigiu à Argentina respeito pelos acordos internacionais. A comissária da Justiça, Viviane Reding, também afirmou que "quando alguém ataca Espanha, está a atacar o conjunto da União Europeia".

Segundo fontes comunitárias, citadas pelo "El Mundo", a União Europeia pode levar o assunto à Organização Mundial do Comércio (OMC), ainda que a organização não seja competente em matéria de protecção de investimentos.


O Parlamento Europeu também aprovou, na sexta-feira, uma resolução, onde se prevê retaliações comerciais.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
asCetaaepcxy 27.11.2016

http://prozac-generic.science/ - prozac http://nexium-online.cricket/ - nexium http://baclofenonline.us/ - baclofen

asCeta7qz926 11.11.2016

http://ventolin-hfa.gdn/ - ventolin http://clonidinehcl.review/ - clonidine tablets http://doxycycline-100mg-acne.top/ - doxycycline http://viagra-for-sale.bid/ - viagra

hermes 23.04.2012

Pois é, né? Os inúteis espanhóis já haviam contabilizado como parte de seu PIB, E$11.000,000.000,00, (MAMA MIA! quanto zero) produto da venda da petroleira da Argentina para a China, a gaucha de um golpe partiu-lhes a bilha de leite, AHAHAHA!!!.
O que mantem o touro espetado, (ou será o pig?) em pé, são as empresas da América do Sul, logo Cristina reassume a telefonia e
os bancos, ganha as orelhas e o rabo do defunto touro. Grande exemplo pros vizinhos frouxos.___ OOOLLÉÉÉÉÉ!!!__(Ó seu_Pedro [Leitor não registado] 23 Abril 2012 - 12:11, fala baixinho cá pra nós, quantas fraldas usas por dia?)

Anónimo 23.04.2012

Assistimos a Venezuela se apropriar daquilo que não era seu por meio de força militar, e, a moda de "nacionalização" esta se proliferando,Desta vez assistimos a Argentina apropriando de maneira ditatorial de uma empresa internacional. Que dirá a Argentina em relação as Malvinas!!!!
Vamos cuidar do que é nosso Brasil.

pub
pub
pub
pub