Empresas Espanhóis da Aldro vão entrar no mercado português de energia

Espanhóis da Aldro vão entrar no mercado português de energia

A espanhola Aldro prevê começar a vender electricidade e gás natural no mercado liberalizado em Portugal nos próximos meses. A energética diz que quer converter-se numa fornecedora de referência para as PME no país, mas conta com forte concorrência.
Espanhóis da Aldro vão entrar no mercado português de energia
André Cabrita-Mendes 16 de agosto de 2017 às 22:00
s consumidores de electricidade e gás natural vão ganhar mais um fornecedor no mercado liberalizado nacional. A espanhola Aldro está a preparar a sua entrada em Portugal e tem previsto arrancar com a sua operação depois do Verão.

"A Aldro vai entrar no mercado português para a comercialização de electricidade, gás, serviços associados e soluções de eficiência energética", diz fonte oficial da empresa ao Negócios.

A empresa planeia vender energia a consumidores domésticos, empresas e grandes consumidores, mas tem os seus olhos postos num segmento específico do mercado. "O objectivo é converter-se numa energética de referência no mercado das pequenas e médias empresas (PME) tanto para electricidade, como para gás natural", avança a Aldro.

A empresa não adianta, para já, valores de investimento e refere que só vai avançar com números em 2018. Apesar da sua matriz espanhola, a Aldro diz que vai funcionar "de forma autónoma em Portugal, com trabalhadores portugueses e serviços específicos para o mercado lusitano", segundo a empresa liderada por José González Payno, que em Portugal vai ser chefiada por Cláudia Almeida Raposo.

A empresa, original da comunidade autónoma da Cantábria, vai ter a sua sede portuguesa em Lisboa, mas destaca que vai "comercializar electricidade e gás natural em todo o país".

A Aldro vai deparar-se com bastante concorrência no mercado energético nacional. Actualmente existem 25 empresas a vender electricidade e 10 a vender gás natural nos respectivos mercados liberalizados, segundo os dados da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Apesar de existirem mais de duas dezenas de empresas concorrentes, o mercado liberalizado de electricidade é dominado pela EDP, com uma quota de 84% em termos de clientes e de 44% em termos de consumo, segundo os dados relativos a Maio da ERSE.

Já no mercado de gás natural, a Galp lidera o mercado em termos de consumo (55%), mas a EDP detém a maioria dos clientes (49%), de acordo com os dados mais recentes, relativos a Junho de 2015.

Analisando os segmentos no mercado liberalizado de electricidade em que se encaixam as PME, a Endesa lidera o segmento industrial em termos de consumo com uma quota de mercado de 30%, seguida da Iberdrola (23%) e da EDP (21%).

No segmento de pequenos negócios, a EDP lidera em termos de consumo com uma quota de mercado de 43%, seguida da Endesa (20%) e da Iberdrola (12%). Já no mercado liberalizado de gás natural, o segmento clientes industriais é dominado pela Galp com uma quota de 53% em termos de consumo, seguida da EDP (20%) e da Endesa (10%).

A Aldro ainda está a formalizar a sua entrada no mercado energético português. A empresa adianta que já obteve luz verde da Direcção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) e que o processo está agora nas mãos da ERSE.

A Aldro tem agora de efectuar o seu registo obrigatório numa plataforma gerida pela ERSE. Para concluir este registo tem de seguir uma série de procedimentos estipulados pelo regulador, conforme explica entidade liderada por Maria Cristina Portugal.

Questionada sobre como é que pretende diferenciar-se dos concorrentes, a Aldro adianta que tem uma "estrutura ajustável, o que faz com que as margens também sejam ajustáveis, o que significa oferecer maiores poupanças aos seus clientes".

Aldro patrocina Paços de Ferreira

A Aldro vai patrocinar o Futebol Clube Paços de Ferreira para as próximas três temporadas. Os valores envolvidos no acordo fechado entre e a energética espanhola e os "castores" no início de Agosto não foram revelados.  O presidente pacense, Paulo Meneses, disse na altura que este era "o melhor contrato de publicidade de sempre" da sua equipa, afirmou, citado pela agência Lusa. "É um contrato de três anos e esta será a marca que vamos ver durante esses três anos. Não tenho memória de contratos no clube para além de um ano", disse Paulo Meneses a 1 de Agosto. Em Espanha, a Aldro Energia e Soluções patrocina o Real Racing Club de Santander, que milita actualmente na Segunda Divisão B. A energética espanhola também patrocina a equipa de ciclismo sub-23 Aldro Team.


raio-x

O que é a energética Aldro?

A empresa nasceu em 2014 e ao fim de três anos dá início à sua expansão internacional, dando o salto para Portugal.

70 mil clientes
A Aldro nasceu em 2014 e desde então já conquistou um total de 70 mil clientes de electricidade e gás natural no mercado espanhol. A Aldro atingiu a oitava e décima posição por crescimento de clientes nos mercados de electricidade e gás, respectivamente, no quarto trimestre de 2016, segundo os dados do regulador espanhol CNMC.

Origem cantábrica
A empresa tem a sua sede na cidade de Torrelavega, na comunidade autónoma da Cantábria, no norte de Espanha. Foi daqui que se expandiu para o resto do país, contando actualmente com delegações em 70 cidades espanholas.

Muita concorrência
A Aldro vai contar com uma forte concorrência no mercado energético português: 25 empresas no mercado liberalizado de electricidade e 10 empresas a vender gás natural.

EDP domina na electricidade
O mercado liberalizado de electricidade em Portugal é, em termos de clientes, dominado pela EDP com uma quota de 84%, seguida da Galp (5,5%) e da Endesa (4%), segundo os dados da ERSE relativos a Maio. Em termos de consumo, a EDP lidera com 44%, seguida da Endesa com 18% e da Iberdrola com 8%, segundo os dados da ERSE. Já no mercado liberalizado de gás natural, a EDP lidera em número de clientes com uma quota de 49%, seguida da Galp (27%) e da Goldenergy (23%), segundo os dados da ERSE mais recentes, de Junho de 2015. Por consumo, a Galp lidera  no gás natural (55%), seguida da EDP (10%) e da Endesa (9%).




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 17.08.2017

Venham eles. Eu adiro logo de seguida!

Anónimo 17.08.2017

25 empresas a vender electricidade? Qualquer dia há mais vendedores que compradores. O que é que diferencia as 25 empresas para além do nome? A vantagem para o consumidor é nula. Gostava era que houvesse 25 empresas produtoras de electricidade.

saraiva14 17.08.2017

Mais uns que querem estoirar dinheiro!