Imobiliário Estrangeiros de 84 países compram em Lisboa. Chineses e franceses lideram

Estrangeiros de 84 países compram em Lisboa. Chineses e franceses lideram

Os dados são do Confidencial Imobiliário e revelam que em 2016 e nos primeiros seis meses de 2017 quase 20% das casas vendidas em Lisboa foram para mãos de cidadãos estrangeiros. O investimento total realizado ascendeu a 446 milhões de euros.
Estrangeiros de 84 países compram em Lisboa. Chineses e franceses lideram
François Philipp
Filomena Lança 17 de novembro de 2017 às 16:52

Entre os meses de Janeiro de 2016 e Junho de 2017 foram adquiridas cerca de 1.300 casas por cidadãos estrangeiros em 11 das freguesias do centro de Lisboa e onde se localizam os principais bairros antigos. Este número representa à volta de 18% do total de 7.300 transacções realizadas neste período, sendo que em causa estão apenas imóveis para habitação.

 

Estas estatísticas são do Confidencial Imobiliário, que monitoriza periodicamente as transacções realizadas nas freguesias da Ajuda, Alcântara, Arroios, Avenidas Novas, Belém, Campo de Ourique, Estrela, Misericórdia, Santa Maria Maior, Santo António e São Vicente, apontadas como as mais dinâmicas em termos de investimento em reabilitação urbana.

 

Ao todo, nos 18 meses analisados, os compradores estrangeiros investiram nestas zonas geográficas um total de 446 milhões de euros. Entre os compradores estão cidadãos e empresas provenientes de 84 países, abrangendo os cinco continentes. No entanto, o destaque vai para os chineses e franceses que protagonizaram, respectivamente, 21% e 20% do volume de investimento realizado por estrangeiros.

 

Na posição seguinte surgem os brasileiros, que geraram 10% do investimento neste período, e depois os compradores do Médio Oriente, com uma quota de 8%, revela ainda o Confidencial Imobiliário.

Em termos de freguesias, a da Misericórdia foi a que teve maior procura, concentrando 22% do número de transacções, num total de 103 milhões de euros de investimento. Contas feitas, em média foram 347 mil euros por imóvel.

 

Santa Maria Maior foi outra das zonas com maior sucesso, contabilizando 15% das compras e um investimento de 60 milhões de euros. O investimento médio foi de 328 mil euros. Finalmente, destaca-se a freguesia de Arroios, com quase 14% das transacções e 48 milhões de euros aplicados, o que representa um valor médio de investimento na ordem dos 260 mil euros.

 

Ao todo, a Misericórdia, Santa Maria Maior e Arroios concentraram 47% do montante investido e metade das operações realizadas por estrangeiros nos 18 meses em análise.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 3 semanas

portugal parou no tempo,se nao parou vai a passo de caracol.O resto do mundo nao para de evoluir,e uma dessas evolucoes e q a idade da reforma esta prestes a chegar aos 70 anos.E verdade q as pessoas hoje duram mais anos,nao e menos verdade q muita gente nao atinge essa idade.Q ganhos no futuro?

Saber mais e Alertas
pub