Tecnologias Estratégia do Facebook para a realidade aumentada começa nos telemóveis

Estratégia do Facebook para a realidade aumentada começa nos telemóveis

O CEO da rede social, Mark Zuckerberg, anunciou a sua estratégia para a realidade aumentada, tendo adiantado que o Facebook irá usar as câmaras dos smartphones para agregar itens virtuais ao mundo real.
Estratégia do Facebook para a realidade aumentada começa nos telemóveis
Bloomberg
Negócios 18 de abril de 2017 às 23:58

Em vez de esperar pelos óculos de realidade aumentada, Mark Zuckerberg vai arrancar com este projecto no Facebook com recurso às câmaras fotográficas dos smarphones. O CEO da rede social anunciou a novidade esta terça-feira, na conferência de programadores da tecnológica – que recebe o nome de F8 –, que decorreu em San Jose, Califórnia.

 

As pessoas poderão usar os seus telemóveis para disputarem jogos virtualmente em mesas de café, justapor e comparar em vídeo as estatísticas sobre o desempenho diário no jogging, deixar um lembrete virtual no frigorífico e muito mais, afirmou Zuckerberg, citado pela Bloomberg.

 

É uma evolução do tipo de tecnologia em que a Snap Inc. foi pioneira, ao permitir que as pessoas transformem os seus rostos em personagens divertidas, ‘fingindo’ serem bonecos ou fazendo de conta que estão a ‘vomitar arco-íris’, sublinha a agência noticiosa.

 

"Apesar de termos sido um pouco lentos a acrescentar câmaras às nossas aplicações, estou confiante que iremos fazer avançar a realidade aumentada", disse Zuckerberg. "Por mais disparatados que estes efeitos possam parecer, eles são na verdade bastante importantes, porque nos permitem partilhar diariamente aquilo que é importante para nós", acrescentou.

 

O CEO do Facebook vê a realidade virtual e a realidade aumentada como a próxima fase da comunicação tecnológica.

 

A realidade virtual mergulha inteiramente os utilizadores num mundo artificial e tem sido mais activamente usada nos jogos, sublinha a Bloomberg. Alguns analistas vêem-na como um nicho em vez de uma potencial tecnologia das massas.

 

O Facebook pagou dois mil milhões de dólares em 2014 pela Oculus, uma empresa que produz óculos e câmaras de realidade virtual. Outras empresas, como a Microsoft, Google e Apple, estão também a mergulhar mais intensamente neste sector.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub