Turismo & Lazer Estrunfes recebem ordem de despejo da sua aldeia

Estrunfes recebem ordem de despejo da sua aldeia

A aldeia espanhola de Júzcar, conhecida como a aldeia dos Estrunfes, deixará a partir de dia 15 de poder explorar a imagem dos pequenos bonecos azuis devido a um diferendo com os herdeiros de Peyo, o ilustrador que os criou.
Estrunfes recebem ordem de despejo da sua aldeia
Negócios 09 de agosto de 2017 às 14:59
Os estrunfes receberam ordem de despejo da sua aldeia e a partir de 15 de Agosto já não será possível vê-los nas ruas de Júzcar, em Málaga, Espanha. Há um diferendo entre os herdeiros de Peyo, o desenhador belga que criou as personagens, e o município espanhol, que estiveram em negociações - falhadas - para o pagamento de direitos de imagem.

Foi em 2011, aquando do lançamento do filme "Smurfs 3D", que a vida de Júzcar mudou. Numa acção de marketing organizada pela Sony Pictures, a pitoresca aldeia foi toda pintada de azul e utilizada para promover a película. O sucesso foi tal que as autoridades locais decidiram manter a cor das casas e continuar a apresentar o local como "A primeira aldeia Estrunfe do mundo". Com os dois filmes seguintes, em 2013 e já este ano, Júzcar voltou a ser utilizada, com todas as casas a receberem uma nova demão de tinta azul.

Entre os filmes, Júzcar reinventou-se como um destino turístico, actividade actualmente responsável por boa parte da sua actividade económica. Acontece que, já em 2017, os herdeiros de Peyo quiseram cobrar direitos de imagem pela utilização do nome e dos bonecos de três personagens autorizadas a andar pelas ruas de Júzcar: o papá-estrunfe (o único com roupas vermelhas), a estrunfina e o estrunfe-estudante.

As negociações pareciam ter chegado a bom porto, já que em Junho o município anunciou oficialmente um acordo para o pagamento ao herdeiros de Peyo de uma taxa de 12% das receitas em todos os produtos e actividades associadas aos estrunfes. No entanto, já no início deste mês, houve um volte-face: foi divulgado um comunicado, entretanto retirado da página internet do município, que dizia que, a partir de 15 de Agosto, Júzcar tinha de retirar todas as referências aos bonecos.

Segundo o El País, as autoridades não voltaram a dar mais explicações, pelo que é possível que ainda estejam a tentar um acordo de última hora. Uma coisa é certa, as casas continuarão pintadas de azul, já que não há copyright da cor das paredes.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Boas.
Indústria Aeronáutica em Portugal!!!
Colaboradores todos bem Certificados nas próprias áreas e a ganharem salários pouquíssimo acima do SMN.
Tintas, produtos, químicos e uma infinidade de doenças laborais que cada colaborador está a ser alvo a curto/médio prazo é uma alegria meu PT.

pub