Imobiliário Estudo para melhorar tomada de decisão no sector imobiliário vence Prémio André Jordan

Estudo para melhorar tomada de decisão no sector imobiliário vence Prémio André Jordan

A definição do preço de compra de casas, a definição do valor das rendas, os problemas de localização, de sustentabilidade e de segurança em zonas urbanas são algumas das situações reais do mercado imobiliário abrangidas pelo estudo.
Estudo para melhorar tomada de decisão no sector imobiliário vence Prémio André Jordan
Lusa 12 de Outubro de 2016 às 00:48
Um estudo para melhorar a tomada de decisão no sector imobiliário foi o principal vencedor do Prémio André Jordan, que distingue investigação em economia do imobiliário e que galardoou também um trabalho sobre reabilitação urbana, anunciou hoje a organização.

No âmbito da quarta edição do Prémio André Jordan, um grupo de investigadores do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa arrecadou o principal galardão, atribuído à categoria de doutoramentos ou artigos científicos, com um trabalho sobre "análise multicritério de apoio à tomada de decisão" na área do mercado imobiliário.

Um dos investigadores do ISCTE e autor do artigo científico premiado Fernando Ferreira disse à agência Lusa que o trabalho "materializa um resumo de três projectos", conseguindo criar sistemas de avaliação com diferentes finalidades, em que um deles permite "elencar com detalhe e analisar as relações de causa e efeito entre os critérios que estão na base do tempo de espera que uma casa está em venda no mercado - o chamado 'time on the market' - TOM".

Outro dos sistemas de avaliação possibilita "prever o tempo de espera que as casas estarão no mercado, numa vertente mais quantificada", referiu Fernando Ferreira, acrescentando que existe ainda um terceiro sistema para "apoiar a tomada de decisão na fixação dos preços das rendas", no âmbito do mercado de arrendamento.

Questionado sobre a inovação do projecto, o investigador argumentou que, "até ao momento, muitos dos mecanismos de avaliação estão muito orientados para os dados estatísticos e para a pura objectividade".

"Em mercados como o sector imobiliário, onde existem conflitos de interesses, onde existem análises subjectivas, não considerar as variáveis subjectivas no processo de decisão é reduzir o potencial dos modelos que são desenvolvidos", considerou.

Neste sentido, Fernando Ferreira advogou que a abordagem multicritério permite interligar aspectos objectivos com aspectos subjectivos do processo de decisão, conseguindo "atingir patamares de apoio à decisão que os métodos estatísticos tradicionais só por si não conseguem".

A definição do preço de compra de casas, a definição do valor das rendas, os problemas de localização, de sustentabilidade e de segurança em zonas urbanas são algumas das situações reais do mercado imobiliário abrangidas pelo estudo.

Os sistemas criados estão "perfeitamente ao alcance de ser implementados na prática por câmaras municipais, por juntas de freguesia, por qualquer interveniente 'stakeholder' do mercado imobiliário, o Governo incluído", adiantou o investigador.

Na categoria de dissertações de mestrado, o Prémio André Jordan galardoou o trabalho "Efeito das externalidades no investimento em reabilitação urbana: uma aplicação da Teoria de Jogos", da autoria de Beatriz Melo, estudante do Instituto Superior Técnico - Universidade de Lisboa.

De acordo com Beatriz Melo, "o trabalho partiu de uma identificação das externalidades, por exemplo, se um indivíduo decide reabilitar o seu prédio, o que é que isso vai influenciar nos vizinhos".

Concluiu-se que "não há um incentivo natural para dar início à reabilitação, tem de haver um efeito externo que inicie o processo, que seja um investimento governamental ou o que seja".

Tendo como área de estudo a cidade de Lisboa, o trabalho demonstrou que, "efectivamente, é preciso a intervenção governamental" para existir reabilitação, disse Beatriz Melo, referindo que "um proprietário privado espera sempre que outro reabilite para reabilitar o seu prédio, porque é mais vantajoso economicamente".

Segundo a organização do Prémio André Jordan, a cerimónia de entrega de prémios desta edição vai realizar-se hoje, às 16:30, no Museu de Arte Antiga, em Lisboa, contando com a presença do empresário André Jordan, assim como do gestor e antigo ministro dos Negócios Estrangeiros Luís Amado, e do economista e presidente do júri do prémio, Augusto Mateus, que vão constituir um painel de reflexão sobre os principais temas que determinam o futuro da economia e do mercado imobiliário.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub