Banca & Finanças EUA aplicam nova coima de 9,5 milhões de dólares ao Deutsche Bank

EUA aplicam nova coima de 9,5 milhões de dólares ao Deutsche Bank

O banco alemão vai pagar uma coima aplicada pelo regulador de mercados dos Estados Unidos devido a um processo ligado à sua unidade de investimento. As negociações com o Departamento de Justiça continuam.
EUA aplicam nova coima de 9,5 milhões de dólares ao Deutsche Bank
reuters
Rita Faria 12 de outubro de 2016 às 18:08

O Deutsche Bank vai pagar uma coima de 9,5 milhões de dólares (cerca de 8,5 milhões de euros) para encerrar um processo em que é acusado de não ter protegido adequadamente a informação não-pública gerada pelos seus analistas e de ter publicado um relatório de research impróprio.

 

A Securities and Exchange Comission (SEC) – autoridade reguladora do mercado de capitais dos Estados Unidos – considera que a unidade de investimento do Deutsche Bank encorajou os seus analistas a comunicarem com os clientes e com os próprios traders, e que não conseguiu implementar políticas para impedir que os analistas divulgassem relatórios não-públicos sobre recomendações de negociação e alterações de estimativas.

 

Segundo a Reuters, o banco alemão encerrou o processo sem admitir nem negar as acusações. Numa declaração divulgada esta quarta-feira, Amanda Williams, porta-voz da instituição germânica, afirma que "o banco leva muito a sério as comunicações dos seus analistas e a sua conduta".

 

A porta-voz acrescenta que o banco tem uma política sólida e tomou medidas para corrigir os problemas identificados pela SEC.

 

O regulador norte-americano também acusa o banco alemão de ter emitido uma nota de research sobre a retalhista Big Lots, incitando os investidores a comprar acções, embora o analista responsável pela sua elaboração tenha dito, em privado, a funcionários do banco, que os títulos da empresa deveriam ter sido revistos em baixa.

 

Este é mais um golpe para o maior banco da Alemanha que continua em negociações com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos para definir o valor da coima que será aplicada pela venda irregular de instrumentos financeiros.

 

A penalização foi inicialmente fixada em 14 mil milhões de dólares, um valor que o banco já fez saber que não pagará. As últimas notícias apontam para que este valor seja reduzido para menos de seis mil milhões. 




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Rui Pedro Nunes 12.10.2016

9,5 milhões ou 9,5 mil milhões?

comentários mais recentes
Anónimo 12.10.2016

Lá estão novamente os deste pasquim a bater na mesma tecla para prejudicar a cotaçao do referido Banco.Gostava de saber quem lhes paga! O mais engraçado é que nao vejo este tipo de noticias em nenhum outro orgao de informaçao. Será que este pasquim é o unico que anda obcecado com a queda do D.Bank?

Rui Pedro Nunes 12.10.2016

9,5 milhões ou 9,5 mil milhões?

Manuel Cruz 12.10.2016

eu, ministro das finanças Alemão digo: não pago.

Sabrina Ussene 12.10.2016

Já não pagaram a outra...

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub