Telecomunicações Eurico Teles Neto assume presidência definitiva da Oi

Eurico Teles Neto assume presidência definitiva da Oi

A Oi decidiu passar Eurico Teles Neto a presidente já não apenas como interino.
Eurico Teles Neto assume presidência definitiva da Oi
Reuters
Negócios 27 de novembro de 2017 às 21:52
Num dia interino, no outro definitivo. A Oi comunicou ao mercado ter deliberado, em reunião do conselho de administração, eleger Eurico Teles Neto para presidente da empresa, completando o mandato deixado vago pela demissão de Marco Schroeder na sexta-feira.

"O conselho de administração, por unanimidade, deliberou eleger o Sr. Eurico de Jesus Teles Neto para ocupar a posição de director presidente da companhia, em complementação de mandato, cumulativamente à posição de director jurídico que já ocupava, ficando, portanto, ratificada a designação realizada pela directoria, também por unanimidade, em 24 de Novembro de 2017", lê-se no comunicado da empresa.

Eurico Teles Neto tinha sido nomeado, a 24 de Novembro, presidente interino. Mas agora passa a definitivo.

Marco Schroeder demitiu-se da presidência, cargo que ocupava desde Junho de 2016, mês em que a Oi avançou com o pedido de recuperação judicial, o maior da história brasileira, com uma dívida superior a 65,4 mil milhões de reais (17 mil milhões de euros).

O processo de negociação com os credores e com o Estado brasileiro estava, assim, há um ano e meio nas mãos de Schroeder que, segundo disse uma fonte à Bloomberg, tomou a decisão de renunciar ao cargo após ter concluído que não conseguiria continuar a trabalhar com a administração e devido à sua frustração crescente em relação à lentidão da acção do governo brasileiro para ajudar a Oi a sair da situação delicada em que se encontra.

As mudanças acontecem menos de duas semanas da assembleia geral de credores, agendada para dia 7 de Dezembro, e depois do conselho de administração da empresa ter aprovado alguns ajustes ao plano de recuperação da operadora.

 

Aliás, segundo duas fontes próximas envolvidas nas negociações com os credores, as mudanças no plano de recuperação da Oi aprovado pelo conselho reduziram drasticamente as hipóteses de resolução neste ano. Desde logo porque as mudanças não alteraram os principais pontos do plano, que ignoram os credores e favorecem os accionistas, disseram as mesmas fontes à Bloomberg.

A próxima assembleia-geral de credores – que já foi adiada por três vezes - está prevista para 7 de Dezembro, mas segundo a Bloomberg deverá ser novamente adiada para Fevereiro, para dar tempo ao governo para reestruturar o pagamento de 11 mil milhões de reais (3,4 mil milhões de dólares) devidos pela Oi à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Até se demitir é este Há 2 semanas

Depois virá outro. O que nenhum vai conseguir é devolver qualquer valor aos actuais acionistas. A Oi vale zero.

Next! Há 2 semanas

Vão uns vem outros...e assim a vida...o tacho deste também está a prazo...concluído a recuperação judicial a Oi até nome vai mudar...a questão fulcral e acertar o plano aprovar lo e seguir em frente...

Saber mais e Alertas
pub