Transportes Europcar compra espanhola Goldcar

Europcar compra espanhola Goldcar

A empresa francesa quer reforçar a presença no segmento low-cost com a compra da Goldcar, avaliada em 550 milhões de euros. Em Portugal, a empresa espanhola tem cinco estações nos principais aeroportos.
Europcar compra espanhola Goldcar
DR
Paulo Zacarias Gomes 19 de junho de 2017 às 12:15

O grupo francês Europcar comprou a concorrente de origem espanhola de aluguer de viaturas Goldcar, descrita como a maior companhia low-cost deste sector e que opera também em Portugal.

A aquisição, feita ao fundo italiano Investindustrial controlado pela família Bonomi – que, segundo o jornal espanhol Expansión detém 80% da empresa -, foi anunciada esta segunda-feira, 19 de Junho. Os restantes 20% estão nas mãos dos fundadores da empresa, Juan e Pedro Alcaraz.

O valor da transacção não foi revelado mas a Europcar avalia a Goldcar em 550 milhões de euros, estando a compra a ser suportada por um sindicato bancário que assegurará as necessidades de refinanciamento da companhia espanhola. Em paralelo, a Europcar deixa em aberto a possibilidade de um aumento de capital de até 10% das acções.

Em Abril, o El Confidencial dava conta da iminência do fecho do negócio, colocando a Europcar a competir com fundos como Cinven, Carlyle, CVC e Advent, podendo a compra rondar os 1.000 milhões de euros.

A operação está dependente da aprovação da concorrência, esperada durante o segundo semestre deste ano. As sinergias entre as duas empresas estão avaliadas em 30 milhões de euros por ano em 2020, tendo a Goldcar gerado vendas de cerca de 240 milhões de euros no ano passado. As acções da Europcar somam 3,57% para 12,48 euros.

"Com esta compra estratégica, o grupo Europcar vai aumentar a sua exposição a três grandes motores de crescimento – a região do Mediterrâneo e os segmento de lazer e low-cost – e vai tornar-se num grande ‘player’ neste segmento de crescimento acelerado na Europa," lê-se no comunicado da empresa francesa.

Em menos de um mês esta é a segunda compra de concorrentes da empresa francesa, depois de em 24 de Maio ter anunciado a aquisição da alemã Buchbinder – também no segmento low-cost -, com mais de 150 estações de aluguer de viaturas e receitas anuais de 200 milhões de euros. E ainda na semana passada anunciou o investimento na plataforma electrónica de partilha de viaturas Snappcar, comprando 20% da empresa.

A compra divulgada esta segunda-feira coloca próximo de estar totalmente concretizado o programa de fusões e aquisições da empresa, incluído no seu programa estratégico "2020 Ambition".

"Com a combinação da InterRent [marca low-cost do grup], da Buchbinder e da Goldcar, construiremos a plataforma e a escala que desejamos no segmento low-cost. Uma vez aí chegados, esperamos que o negócio low-cost gere uma porção importante das receitas do nosso grupo no futuro," defende Caroline Parot, CEO do grupo Europcar, no comunicado.

As origens da Goldcar remontam a 1985 quando os irmãos Juan e Pedro Alcaraz abriram a primeira estação da empresa - então denominada Europa Rent-a-car - em San Juan de Alicante. Em 2007 a companhia adopta o nome Goldcar e quatro anos depois começa a sua expansão internacional por Portugal, com a abertura da estação no aeroporto de Faro. 

Presente em 16 países, em Portugal a Goldcar tem actualmente cinco estações – nos aeroportos de Faro, Lisboa, Madeira, Porto e Ponta Delgada. No total, a frota da empresa ascende a mais de 50 mil veículos, lê-se no seu site, empregando cerca de mil pessoas.

Nos 140 países em que a Europcar tem actividade, a empresa disponibiliza uma frota de 200 mil carros e emprega 6.500 pessoas. Em Portugal, conta com cerca de 70 estações.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub