Banca & Finanças Ex-BES de Cabo Verde multado por falhas na prevenção da lavagem de capitais

Ex-BES de Cabo Verde multado por falhas na prevenção da lavagem de capitais

O Banco de Cabo Verde (BCV) aplicou uma coima de cerca de 900 mil euros ao Banco Internacional de Cabo Verde (BICV) por falhas na prevenção da lavagem de capitais, foi anunciado.
Ex-BES de Cabo Verde multado por falhas na prevenção da lavagem de capitais
Bruno Simão/Negócios
Lusa 15 de março de 2017 às 17:06

O banco central cabo-verdiano adiantou, em comunicado, que a multa foi aplicada na sequência do processo de contra-ordenação instaurado ao Banco Internacional de Cabo Verde (BICV), ex-Banco Espírito Santo de Cabo Verde, "por infracções a deveres e procedimentos atinentes à prevenção da lavagem de capitais".

 

De acordo com o mesmo comunicado, as falhas ocorreram "fundamentalmente quando o BICV era detido pelo Banco Espírito Santo [BES]".

 

O valor da multa é de 100 milhões de escudos (cerca de 906 mil euros).

 

O BICV, actualmente um activo do Novo Banco, foi alvo de um processo contra-ordenacional por parte da entidade de supervisão bancária cabo-verdiana por eventual prática de infracções na condução da actividade financeira.

 

O governador do Banco de Cabo Verde disse em 8 de Março que depois de chumbada a venda do Banco Internacional de Cabo Verde ao empresário português José Veiga, não recebeu mais nenhum pedido de autorização para alienação do banco.

 

"Depois do último pedido do empresário José Veiga, que foi recusado, não entrou mais nenhum pedido de autorização para a venda do Banco Internacional de Cabo Verde", disse João Serra, na altura.

 

O empresário português José Veiga tinha pedido autorização para adquirir a totalidade das acções do BICV, mas a venda foi chumbada pelo supervisor cabo-verdiano, depois de o Banco de Portugal também se ter oposto à operação.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira 15.03.2017

Deve ter sido o pupilo de cavaco que foi lá fazer formação profissional.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub