Banca & Finanças Ex-presidente diz que é preciso "eliminar" dúvidas sobre qualidade da gestão da CGD  

Ex-presidente diz que é preciso "eliminar" dúvidas sobre qualidade da gestão da CGD  

Faria de Oliveira foi à comissão de inquérito pedir para que se retirem as dúvidas sobre a qualidade dos administradores do banco público.
Ex-presidente diz que é preciso "eliminar" dúvidas sobre qualidade da gestão da CGD  
Miguel Baltazar
Diogo Cavaleiro 24 de janeiro de 2017 às 16:00

O ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos, Fernando Faria de Oliveira, espera que a comissão de inquérito retire quaisquer dúvidas sobre quem presidiu à instituição financeira.

 

"Que se aproveitem os trabalhos desta comissão de inquérito para eliminar quais dúvidas, não só sobre a capacidade da CGD para continuar a cumprir as suas missões, mas também sobre a qualidade da gestão da instituição", defendeu Faria de Oliveira na audição desta terça-feira, 24 de Janeiro.

 

Segundo o agora presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB), a gestão da CGD foi "servida ao longo dos anos por grandes profissionais, quer a nível do seu conselho de administração, quer da alta direcção e restantes quadros e colaboradores".

 

"É fundamental que a banca não seja sistematicamente posta em causa. E que o trabalho de escrutínio que está a ser realizado pelo Parlamento contribua para uma Caixa mais forte", concluiu também Faria de Oliveira na intervenção inicial, dirigindo-se aos deputados.

 

Faria de Oliveira foi o presidente executivo do banco público entre 2008 e 2011, tendo sido antecedido por Carlos Santos Ferreira. O seu sucessor foi José de Matos. 

 

Este é precisamente um ponto que separa a direita e a esquerda. O PSD e CDS querem respostas sobre o banco público para que se retirem dúvidas sobre a gestão da CGD, o PS, BE e PCP, que se opuseram à constituição da comissão de inquérito, acreditam que o escrutínio a um banco em funcionamento pode intensificar essas dúvidas.  

 


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga 24.01.2017

A começar pelo próprio! Um crânio iluminado! Mais um deste elite tuga insubstituível....

O homem desampara! Reforma-te! Larga o osso!
Dá lugar aos novos!

Anónimo 24.01.2017

O Royal Bank of Canada atribuiu hoje um preço alvo à NOS de 9€ ... aproveitem, que o mercado não acordou para esta Acção, vai subir no curto prazo com um previsível anuncio de um aumento do dividendo. BNs.

pub
pub
pub
pub