Empresas Exportações têxteis aumentam 6% até Setembro mas caem para os EUA

Exportações têxteis aumentam 6% até Setembro mas caem para os EUA

As exportações de têxteis e de vestuário aumentaram 6% nos primeiros nove meses do ano, para 3,8 mil milhões de euros, com os Estados Unidos a fixar-se como o único dos dez principais mercados desta indústria portuguesa em que houve uma queda das vendas.
Exportações têxteis aumentam 6% até Setembro mas caem para os EUA
Portugal exportou mais 6% de artigos têxteis e de vestuário até Setembro, mas as vendas para os Estados Unidos caíram 7%.
Ricardo Castelo/Negócios
Rui Neves 09 de Novembro de 2016 às 13:47

A indústria portuguesa de têxteis e de vestuário regozija-se por já ser "possível afirmar" que irá fechar 2016 com um valor de exportações superior a cinco mil milhões de euros.

O sector registou no mês de Setembro um crescimento de 11% nas vendas ao exterior, face ao mesmo mês do ano passado, tendo no acumulado dos nove primeiros meses do ano, em termos homólogos, aumentado as exportações em 6%, para 3,8 mil milhões de euros.

Os dados compilados pela principal associação do sector (ATP), com base nas estatísticas publicadas pelo INE nesta quarta-feira, 9 de Novembro, mostram que as exportações de têxteis e vestuário aumentaram para nove dos seus dez principais mercados.

A excepção foi os Estados Unidos, destino que registou uma queda de 7% nas vendas destes produtos portugueses, entre Janeiro e Setembro passados, para 196 milhões de euros, menos 15 milhões do que há um ano.

O destino Estados Unidos foi o terceiro do "ranking" das maiores quedas das exportações de têxteis e de vestuário para fora da União Europeia neste período, sendo apenas ultrapassado por Angola (menos 50%) e China (menos 10%).

Já os destinos europeus reforçaram o seu peso no total das exportações, registando um crescimento de 9%, com Espanha a reforçar a liderança enquanto melhor destino – mais 12%, para 1,341 mil milhões de euros. Regista mesmo o maior crescimento absoluto: acréscimo de 148 milhões de euros.

Alemanha (com um aumento de 27,6 milhões de euros, o que traduz um crescimento de 9%) e Itália (mais 18,6 milhões de euros, o que significa que cresceu 14%) são outros mercados em destaque.

Fora da UE, a ATP destaque o crescimento registados nas exportações para a Macedónia (mais 384%), México (18%), Turquia (17%), Arábia Saudita (56%), Marrocos (8%), Canadá (8%), Cabo Verde (23%) e Japão (16%).

Em termos de balança comercial, esta indústria apresentava, no final de Setembro, um saldo positivo de 920 milhões de euros, o que representava uma taxa de cobertura das importações pelas exportações de 132%.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
A atividade aumenta mas a economia ,dizem,nao anda Há 3 semanas

E so' a faturar! AS EXPORTACOES Aumentam ..o Turismo da' cartas...o desemprego DEMINUE...vendem-se mais carros.....No entanto os do costume dizem que a economia nao mexe! So o Camilo pode "espilicar" isto!

tecno-manhoso Há 3 semanas

Péssimas noticias para o tecno-manhoso

Anónimo Há 3 semanas

Como, já trabalhei nessa area, aquilo que eu constatei, é que vestuário textil de Potugal é o melhor a nivel mundial. Uma vez, que aqueles paises, que se acomparávam a Portugal, nomeadamente, EUA; França; Alemanha; e Dinamarca; que transferiam a produção, para os paises de quase escravatura a qualid

pub