Indústria Fábrica de bebidas em Angola com luz verde para avançar

Fábrica de bebidas em Angola com luz verde para avançar

O investimento superior a 45 milhões de euros foi aprovado pela agência angolana para o investimento privado, que deverá conceder benefícios fiscais às novas instalações a localizar nas imediações de Luanda. Fábrica vai criar mais de 400 postos de trabalho.
Fábrica de bebidas em Angola com luz verde para avançar
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 15 de agosto de 2017 às 11:04

O projecto do grupo Sun Ocean para construir uma fábrica de produção e embalamento de sumos, água e vinho no mercado angolano já teve luz verde das autoridades locais para avançar, anunciou em comunicado a entidade que vai financiar o projecto. 

Em causa está a aprovação formal obtida junto da Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP) ao investimento conjunto do consórcio Sun Ocean Lda, constituído pela angolana Sun Ocean Holdings, pela empresa da Guiné Equatorial Embasa e pelo financiador, a QG African Infrastructure 1 LP.

Segundo o mesmo comunicado, a fábrica nos arredores da capital angolana deverá, assim que concluída, empregar mais de 400 trabalhadores e fornecer 80 milhões de litros de bebidas por ano.

"A empresa vai ocupar uma posição única no mercado de bebidas de Angola, um país que tem mostrado progressos significativos no aumento da riqueza, estabilidade macroeconómica e diversificação económica nos últimos anos," lê-se no documento.

No final de Julho a Lusa referia que a empresa, com sede nas Ilhas Virgens Britânicas, queria investir 45,2 milhões de euros naquela fábrica de bebidas, tendo já na altura contrato assinado com a UTIP onde estimava a criação de 530 empregos directos até 2022, 30 dos quais trabalhadores expatriados.  

O contrato de investimento então mencionado ascendia a 53,2 milhões de dólares (45,2 milhões de euros à cotação actual), ficando 40% desse valor a cargo da Eminbasa Investments (40%) os restantes 60% a injectar pela Sun Juice Holdings.

A Lusa acrescentava que, ao abrigo do contrato com a UTIP, o investimento receberá benefícios fiscais, como a redução de 75% no pagamento de impostos Industrial, sobre a Aplicação de Capitais e de Sisa, durante 10 anos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub