Automóvel Fabrice Crevola é o novo administrador-delegado da Renault em Portugal

Fabrice Crevola é o novo administrador-delegado da Renault em Portugal

O gestor que iniciou a carreira em Portugal regressa ao país mais de 20 anos depois, agora para liderar a unidade portuguesa da fabricante francesa.
Fabrice Crevola é o novo administrador-delegado da Renault em Portugal
Fabrice Crevola tem 46 anos de idade, é casado e pai de dois filhos.
Negócios 12 de julho de 2017 às 10:00

A Renault Portugal anunciou que Fabrice Crevola é desde 1 de Julho o novo administrador-delegado da companhia, substituindo no cargo Laurent Diot, que "foi chamado a desempenhar outras funções no Grupo Renault".

 

Segundo o comunicado da firma líder nas vendas de automóveis em Portugal, Crevola iniciou a carreira na unidade portuguesa da Renault em 1994, como assistente de Marketing, tendo ido para França em 1995, onde desempenhou várias funções na marca francesa. Sempre na Renault, esteve em vários países, como Polónia, Itália e também nos Países Bálticos. Desde Junho de 2014 que era director de marketing do cluster sul que engloba Itália e Grécia.

 

Crevola tem 46 anos de idade, casado, e é pai de dois filhos. É licenciado pela Lyon Business School e detém um Bacharelato em Economia pela Universidade de Sussex no Reino Unido.

 

"Assumir a condução dos destinos da Renault Portugal é uma grande responsabilidade. A Renault tem, em Portugal, uma posição de liderança de quase duas décadas, que faz dela uma referência incontornável do mercado. Manter a marca nesse patamar é um grande desafio, para além das ambições associadas à Dacia", refere o gestor francês, no referido comunicado.

 

Segundo dados da ACAP, a Renault manteve-se no primeiro semestre como líder incontestada do mercado automóvel português, com 22.124 ligeiros vendidos de Janeiro a Junho, 4.761 dos quais só no último mês. A variação homóloga no semestre foi de 22,3%. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub