Web Summit Facebook está a testar novo modelo de grupos no Messenger

Facebook está a testar novo modelo de grupos no Messenger

Além de adicionar amigos nos grupos do Messenger, em breve poderá ser possível aderir a conversações com base em temas.  Quanto aos "chatbots", o objectivo é responder aos consumidores com conteúdos estruturados.
Facebook está a testar novo modelo de grupos no Messenger
REUTERS
Sara Ribeiro 08 de Novembro de 2016 às 18:06

"Quem usa o Facebook Messenger?".  Foi com esta pergunta que Loic Le Meur, fundador e CEO da Leade.rs, arrancou a penúltima conferência do segundo dia do Web Summit. Praticamente todas as pessoas presentes no Meo Arena levantaram os braços. Uma reacção que deixou o vice-presidente da área de produtos de "messaging" "satisfeito" e confiante quando ao serviço de "chatbots" lançado há cerca de seis meses pela rede social.

 

"As pessoas não gostam de fazer telefonemas em geral, muito menos para centros de atendimento das empresas", comentou David Marcus. Além disso, "a maioria dos e-mails que recebemos das empresas vêm com o 'no reply' [não responder]", acrescentou.

 

Por isso, "o que queremos é construir um modelo em que todas as empresas tenham centro de atendimento através do Messenger", com a nova plataforma com bots e inteligência artificial no Messenger dirigida a empresas e pequenos negócios.

 

Estes "chatbots" (respondem aos consumidores com conteúdos estruturados que podem incluir fotos, vídeos e links.

 

Questionado sobre a falta de componente humana, mais personalizada, David Marcus comentou que há empresas que "até dão nomes às personagens" que criam para atender os contactos dos consumidores. E "se quiserem falar com alguém (sem ser um robot) podem", basta pedirem, apontou.

 

O responsável do Facebook aproveitou o palco do Web Summit para anunciar ainda que nos últimos dias o grupo começou a testar uma nova modalidade no Messenger que consiste em criar grupos com base nos temas, e não na lista de amigos. "Por exemplo, poderia ser criado um grupo com o tema Web Summit ou sobre as eleições nos EUA e as pessoas que tivessem interesse juntavam-se ao grupo", explicou. "Começámos a testar há uns dias e, se tudo correr bem, lançaremos em breve", revelou.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub