Media Facebook prepara ferramenta para assinar jornais

Facebook prepara ferramenta para assinar jornais

Depois de lerem um determinado número de notícias no Facebook, os utilizadores poderão ser convidados a assinar os serviços dos jornais que as escrevem. A ferramenta está em fase de teste, numa tentativa de atenuar a tensão entre a rede social e os media.
Facebook prepara ferramenta para assinar jornais
Wilson Ledo 20 de julho de 2017 às 12:10

O Facebook está a trabalhar numa nova ferramenta que permitirá assinar os serviços de jornais que publiquem directamente na rede social, avançou o The Wall Street Journal.

A nova ferramenta seria adicionada à secção "Instant Article", onde os jornais publicam actualmente artigos que podem ser lidos no Facebook.


As discussões sobre esta novidade, que representa um esforço na relação entre o Facebook e os grupos de media, estão ainda numa fase inicial, segundo fontes próximas do processo.


O The New York Times (NYT) concretiza que é possível que o Facebook produza uma espécie de "barreira" semelhante à que alguns jornais já utilizam.


Assim, por exemplo, depois de ler 10 artigos do NYT no Facebook, o utilizador poderia ser reencaminhado para a página de subscrição do jornal.


O Facebook planeia arrancar uma versão piloto com um pequeno grupo de publicações em Outubro e alargá-la, depois, em 2018, se os resultados forem promissores.


"Estamos em negociações preliminares com vários editores de notícias sobre como podemos apoiar melhor os modelos de negócio de subscrição no Facebook", reagiu Campbell Brown, responsável da rede social para as parcerias na área noticiosa.


A imprensa norte-americana tem procurado juntar forças para dar conta como a primazia do Google e do Facebook se está a consolidar na publicidade digital e, consequentemente, no controlo da distribuição das notícias online.


Não ficou claro se o Facebook tirará benefícios financeiros desta nova ferramenta. Fontes ligadas ao processo asseguram que a rede social não pretende reduzir os pagamentos aos meios de comunicação e que beneficiará, de forma indirecta, através do maior gasto de tempo dos utilizadores na plataforma – e, consequentemente, a visualização de anúncios.


O NYT não deixa de alertar para os riscos desta ferramenta: se muitos jornais optarem por participar, poderá ser criado um "efeito de pacote", permitindo aos leitores lerem centenas de artigos gratuitos por mês – 10 de cada título – até serem convidados a pagar.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ciifrão Há 4 semanas

Ninguém que ler jornais chatos feitos por jornalistas presunçosos. O tempo do jornalismo a dar-se ares de coisa importante suspeito tenha os dias contados.

pub
pub
pub
pub