Banca & Finanças Familiares receberam dívidas de Miguel Frasquilho através de offshore do GES

Familiares receberam dívidas de Miguel Frasquilho através de offshore do GES

Familiares de Miguel Frasquilho, "chairman" da TAP, receberam da offshore do GES, ES Enterprises, vários pagamentos que o ex-deputado assume que eram para si, mas que optou por pedir a transferência directa para pagar dívidas.
Familiares receberam dívidas de Miguel Frasquilho através de offshore do GES
Negócios 23 de dezembro de 2017 às 18:37
Miguel Frasquilho, ex-deputado e que foi durante anos quadro do BES, assume que pediu que alguns pagamentos que lhe eram devidos fossem pagos directamente a familiares, com quem tinha dívidas para saldar. Só que esses pagamentos, revela o Expresso, foram feitos de uma conta na Suíça titulada pela Espírito Santo Enterprises, uma offshore do GES que tem estado sob suspeita do Ministério Público por pagamentos não registados. 

O pai, a mãe e o irmão do ex-deputado receberam seis transferências entre 2009 e 2011 de um total de 54 mil euros.

"A circunstância de esses pagamentos terem sido efectuados em contas de familiares meus deve-se apenas ao facto de eu ter pedido isso mesmo à minha entidade patronal, uma vez que tinha dívidas para saldar com os meus familiares directos referidos", diz Miguel Frasquilho ao Expresso, assegurando desconhecer a proveniência dos valores.

Miguel Frasquilho, ex-presidente da AICEP e actual chairman da TAP, disse ainda estar convencido de que os valores constam na declaração de rendimentos entregue então pelo BES. 

"Todas as minhas remunerações, entre salários, prémios, benefícios de saúde ou outras, que eu ou os meus familiares diretos recebemos ao longo destes anos sempre constaram das minhas declarações de rendimento anuais que me foram entregues já preenchidas pela minha entidade patronal (BES), e que eu apresentei perante as finanças." O Expresso acrescenta que a entidade patronal era o BES e não a ES Enterprises, empresa da qual diz ter tido conhecimento apenas no decurso da comissão de inquérito aos actos de gestão do BES/GES no Parlamento. 




A sua opinião28
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

Vá lá.... Estamos no Natal.. Sejam condescendentes ... Acreditem na historinha do Miguelito...

comentários mais recentes
E so mais um pulha Cavacao. Há 3 semanas

Mais um ladrazeco que se fica a rir com as justica de Saloios, que premite os Roubos diretos que estes porcos politicos nos sacam a toda a hora. Mais um especialista formado nas Tecnoframas, com as bensaos dos Relvas& Passos, e da universidade de Castelo de Vide. Nojo d miseravel paizeco de ladroes

Mr.Tuga Há 3 semanas

Não me admira que este SEBENTO, que não passou de um dePUTAdo mediocre tenham tido uma ascensão meteorítica !!!!!!!!!!!!!!!!!

De dePUTAdo para a AICEP e de seguida para a TAPi....

Este sitio de MERD* ATRASADO não é para gente séria!!!!!!!!!!!!!
REPUGNANTE!

Anónimo Há 3 semanas

Bom! É só artistas, no E.U.A. estavam todos dentro à muito e os seus bens arrestados para pagar aos lesados/contribuintes ou sejam todos nós ( Exemplo Madoff )
Enfim, em Portugal ainda vai valendo tudo excepção ao bibi, o motorista do socrates e ao coitado que rouba um pacote de arroz

TinyTino Há 3 semanas

Que este era um avençado do BES já todos sabíamos. Devia estar preso.

ver mais comentários