Automóvel FBI detém executivo da Volkswagen pelo escândalo de manipulação de emissões

FBI detém executivo da Volkswagen pelo escândalo de manipulação de emissões

O detido é Oliver Schmidt, que esteve entre 2014 e Março de 2015 à frente do departamento que garantia o cumprimento, por parte da empresa, das normas de regulação nos Estados Unidos.
FBI detém executivo da Volkswagen pelo escândalo de manipulação de emissões
reuters, bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 09 de janeiro de 2017 às 09:15

Um executivo da Volkswagen foi detido pelo FBI este sábado na Florida, Estados Unidos, sob acusações de tentativa de fraude nos EUA no âmbito do caso da manipulação das emissões de gases nocivos em veículos diesel.

O detido é Oliver Schmidt, que esteve entre 2014 e Março de 2015 à frente do departamento que garantia que a empresa cumpria com as normas de regulação. A notícia é avançada pelo The New York Times, que cita duas pessoas próximas do processo.

Em causa estão processos apresentados contra a Volkswagen pelos procuradores gerais de Nova Iorque e Massachusetts, que acusam o executivo de ter tido um papel importante na ocultação, perante os reguladores, do esquema de manipulação das emissões.

Em 2014 terá dado explicações técnicas falsas às autoridades, reconhecendo no ano seguinte a existência de um dispositivo que manipulava as emissões nos testes de estrada.

Schmidt deve ser presente a tribunal esta segunda-feira em Detroit. Tanto os advogados do executivo como funcionários do Departamento de Justiça recusaram comentar a detenção. Já a Volkswagen garantiu que continuará a cooperar com as autoridades judiciais, mas não quis comentar especificamente o caso.

A Volkswagen reconheceu que 11 milhões de carros em todo o mundo foram equipados com software ilegal destinado a viciar os testes de emissões. Nos EUA terão sido afectadas 600 mil viaturas.

Nesse mercado, a empresa já chegou a acordo para pagar quase 16 mil milhões de dólares para encerrar um processo judicial contra si e está próximo de fechar um outro que deverá levá-la a pagar compensações de mais de 2 mil milhões de dólares.
 

Em Frankfurt, as acções preferenciais do construtor automóvel seguem a disparar 3,53% para 143,9 euros enquanto os títulos comuns valorizam 2,45% para 146,10 euros, depois de ter sido divulgado que as vendas mundiais do grupo VW cresceram 2,8% para 5,99 milhões de viaturas.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub