Desporto Fernando Gomes admite obrigação da SAD do Porto em vender jogadores

Fernando Gomes admite obrigação da SAD do Porto em vender jogadores

O administrador da SAD do FC Porto Fernando Gomes assumiu hoje que o clube terá de vender jogadores do plantel de futebol para equilibrar as contas, que exigem "bom senso" e "ponderação" para evitar erros do passado.
Fernando Gomes admite obrigação da SAD do Porto em vender jogadores
Lusa 07 de junho de 2017 às 19:49

Em declarações prestadas na sessão de apresentação de resultados da oferta pública de subscrição da emissão obrigacionista da FC Porto SAD para o período 2017-2020, na Euronext, em Lisboa, o dirigente portista revelou também a existência de um acordo com a UEFA, a ser tornado público em breve, relativamente ao incumprimento das regras de 'fair-play' financeiro.

 

"Qualquer clube dos três grandes, para manter as contas equilibradas, tem de vender jogadores e fazer mais-valias. Nenhum orçamento dos três grandes será equilibrado sem isso", frisou, acrescentando: "As finanças não são preocupantes, mas obrigam a não repetir algumas coisas que em termos financeiros foram feitas. O FC Porto vai entrar num momento mais apurado."

 

Depois de ter reconhecido em Maio que pode ser penalizado pela UEFA em um milhão de euros por incumprimento das leis de 'fair-play' financeiro, o FC Porto, pela voz do seu administrador da SAD, confirmou hoje a definição de um compromisso com o organismo que tutela o futebol europeu, embora não tenha revelado pormenores do acordo.

 

"Este acordo é bom para o FC Porto. Fizemos uma proposta de desenvolvimento do FC Porto que foi sancionada pela UEFA. Não está nem mais nem menos do que aquilo que achávamos indispensável para solidificar economicamente o FC Porto", disse.

 

Fernando Gomes foi, naturalmente, confrontado com uma possível oficialização de Sérgio Conceição como novo treinador dos 'dragões', mas recusou tecer quaisquer declarações sobre esse âmbito, abordando apenas em termos gerais a definição do plantel com o futuro técnico.

 

"Só depois do novo treinador assinar é que haverá uma conversação entre treinador e SAD para verificar com que plantel irá trabalhar. Não haverá nenhum 'diktat' da administração para o treinador e, seguramente, também não haverá do treinador para a SAD", frisou.

 

Já sobre os resultados do oitavo empréstimo obrigacionista da SAD portista, no valor de 35 milhões de euros e com uma taxa de juro nominal bruta de 4,25%, a procura válida foi superior a 45 milhões de euros, tendo sido subscrito por 3.471 investidores. De resto, esta é a emissão portista com a taxa mais baixa desde que iniciou os empréstimos obrigacionistas em 2003.

 

O administrador da SAD do FC Porto explicou que a contração deste novo empréstimo destinou-se, essencialmente, à gestão corrente das contas 'azuis e brancas': "Esta emissão obrigacionista visou o financiamento da tesouraria normal do FC Porto. Não se destinou a nenhum fim especial, ao reforço do plantel ou ao investimento em infra-estruturas."

 

Fernando Gomes considerou, finalmente, a operação "um sucesso", lembrando ainda que a maioria dos investidores são "pequenos aforradores" e que essa circunstância "traz responsabilidades acrescidas" ao FC Porto.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump 07.06.2017

Conheci muita gente com lugar cativo que virou as costas ao porto quando souberam do salario de pinto da Costa para alem de uma vasta manada de regalias.

pub
pub
pub
pub