Empresas Ferrero compra chocolates da Nestlé nos EUA e torna-se terceira maior do mundo

Ferrero compra chocolates da Nestlé nos EUA e torna-se terceira maior do mundo

A italiana Ferrero comprou, por 2,8 mil milhões de dólares, o negócio dos chocolates da suíça Nestlé nos Estados Unidos, passando a ser a terceira maior força naquele país e também a nível mundial.
Ferrero compra chocolates da Nestlé nos EUA e torna-se terceira maior do mundo
Bloomberg
Carla Pedro 16 de janeiro de 2018 às 20:24

A suíça Nestlé decidiu vender o seu negócio de doçaria nos EUA à italiana Ferrero, por 2,8 mil milhões de dólares (2,28 mil milhões de euros), "marcando a primeira grande venda do CEO Mark Schneider e um pequeno passo rumo à comercialização de produtos mais saudáveis", avançou a Reuters.

 

A Ferrero, com esta aquisição, vai tornar-se a terceira maior empresa de chocolates nos EUA e a nível mundial, segundo a Euromonitor International.

 

Assim, a fabricante dos bombons de praliné Ferrero Rocher e do creme para barrar Nutella vai juntar aos seus produtos as marcas que a Nestlé tem presentes no mercado norte-americano, como a BabyRuth, Butterfinger e Crunch.

 

A Nestlé disse, em comunicado no seu website, que espera ver concluída esta operação em torno de finais do primeiro trimestre de 2018, depois das devidas aprovações e acerto de condições de venda.

 

Esta unidade de negócio da Nestlé nos EUA representa apenas cerca de 1% das vendas da empresa suíça, mas faz parte de uma maior reviravolta que Schneider quer dar aos negócios da empresa. Há um ano com as rédeas da Nestlé, Schneider é um veterano do sector dos cuidados de saúde e quer colocar a empresa nessa linha mais saudável.

 

A Nestlé disse manter-se empenhada nos restantes negócios em território norte-americano que não incluem doçaria, já que o seu foco passou a estar na "nutrição, saúde e bem-estar". Ainda nessa linha, na semana passada a Nestlé anunciou que vai vender o seu chocolate australiano Violet Crumble.

 

Os EUA representam perto de 19% do mercado global do chocolate, avaliado em 102,3 mil milhões de dólares (83,5 mil milhões de euros) no retalho, segundo os dados da Euromonitor citados pela Reuters.

 

Nos últimos anos, a Nestlé tem perdido quota de mercado naquele país, ao passo que novas marcas como a Kind cresceram rapidamente. As suas maiores rivais nos EUA eram, actualmente, a Hershey, Mars e Lindt.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 17.01.2018

Os franceses, espanhóis e italianos têm o creme de avelã, o nougat e as castanhas. Portugal tem papel caro e pessoas a arder.

pub