Desporto FIFA enfrenta acção judicial por abuso dos trabalhadores do Mundial do Qatar

FIFA enfrenta acção judicial por abuso dos trabalhadores do Mundial do Qatar

O organismo que tutela o futebol mundial enfrentará nos tribunais suíços uma acção judicial por alegada cumplicidade no abuso e maus-tratos aos migrantes contratados para a construção das infra-estruturas do Mundial de futebol de 2022.
FIFA enfrenta acção judicial por abuso dos trabalhadores do Mundial do Qatar
Bloomberg
David Santiago 10 de Outubro de 2016 às 14:14

A FIFA vai estar presente os tribunais da Suíça, depois de uma Confederação de Comércio holandesa (FNV, na sigla inglesa) ter interposto uma acção judicial contra o organismo responsável pela gestão do futebol mundial por alegada cumplicidade com as maus condições de trabalho e abusos a que os migrantes contratados para a preparação do Mundial do Qatar, em 2022, foram sujeitos.

 

Segundo uma notícia avançada esta segunda-feira, 10 de Outubro, pelo The Guardian, os advogados da FNV instaram o actual presidente da FIFA; Gianni Infantino, a aceitar a cumplicidade da organização e a aceitar pagar indemnizações como forma de evitar a ida a julgamento.

 

Esta queixa refere-se exclusivamente a migrantes do Bangladesh contratados para a construção das infra-estruturas e estádios do Qatar 2022, naquela que é a primeira vez em que a FIFA é directamente responsabilizada, nos órgãos judiciários suíços, pelo desrespeito dos direitos humanos a que vários migrantes foram sujeito no Qatar.

 

No entanto, como salienta o Guardian, o número de migrantes contratados pelo Qatar já ultrapassa os 1,7 milhões, provenientes de vários países, pelo que esta acção judicial poderá abrir a porta a novas queixas contra a FIFA.

 

Tanto a FIFA como a comissão organizadora do Qatar têm sido criticados pelas condições migrantes trabalhadores têm estado sujeitos, com a organização agora liderada por Infantino a argumentar estar a fazer tudo ao seu alcance para garantir que sejam garantidas as melhores condições de trabalho possíveis, embora rejeite responsabilidade directa na questão.

 

O Mundial de 2022 tem de há muito estado envolto em polémicas várias. Além da questão relacionada com aquilo que já chegou a ser considerado por várias ONG como práticas de esclavagismo na construção dos estádios, surgiram nos últimos anos notícias sobre alegadas práticas de corrupção na atribuição da organização do evento ao Qatar.

 

Por outro lado, não há ainda data para o evento, que poderá tornar-se no primeiro Mundial de futebol a ser disputado durante o Inverno, isto de forma a evitar as elevadas temperaturas que se fazem sentir naquela região do Golfo Pérsico durante os meses de Verão. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub