Banca & Finanças Finanças sobre rendimentos de Domingues: "Não foi lapso. Escrutínio é feito pelo accionista"

Finanças sobre rendimentos de Domingues: "Não foi lapso. Escrutínio é feito pelo accionista"

António Domingues não terá de entregar a sua declaração de rendimentos ao Tribunal Constitucional. "Não foi lapso. Escrutínio é feito pelo accionista", garante fonte oficial do Ministério das Finanças
Finanças sobre rendimentos de Domingues: "Não foi lapso. Escrutínio é feito pelo accionista"
Miguel Baltazar
Maria João Gago 25 de outubro de 2016 às 18:38

António Domingues e os restantes gestores da Caixa Geral de Depósitos estão dispensados de apresentarem a sua declaração de rendimentos perante o Tribunal Constitucional, esclareceu o Ministério das Finanças, em resposta às questões do Negócios. "Não foi lapso. O escrutínio já é feito pelo accionista", adiantou fonte oficial do gabinete de Mário Centeno.

 

"A ideia é a CGD ser tratada com qualquer outro banco. Essa foi a razão para que fosse retirada do Estatuto do Gestor Público. Está sujeita a um conjunto de regras mais profundo,  como estão todos os bancos. Não faz sentido estar sujeita às duas coisas. Não foi lapso. O escrutínio já é feito", esclareceu a tutela.

 

Para o gabinete de Mário Centeno, "os corpos dirigentes da CGD têm que prestar contas ao accionista e aos órgãos de controlo interno. Estão assim disponíveis para revelar essa informação [sobre o seu rendimento, património e possíveis incompatibilidades] ao accionista".


O esclarecimento do Ministério das Finanças surge dois dias depois de o comentador da SIC e conselheiro de Estado Luís Marques Mendes ter criticado a possibilidade de os gestores da Caixa terem ficado desobrigados de apresentar declarações de rendimentos, de incompatibilidades e sobre as suas participações empresariais, respectivamente ao Tribunal de Contas, à Procuradoria-Geral da República e à Inspecção Geral de Finanças. "Ou isto é um lapso e tem de ser corrigido, ou isto é intencional e é gravíssimo", defendeu no domingo, no Jornal da Noite da SIC.

 

Já depois das críticas de Marques Mendes, o PSD e o Bloco de Esquerda anunciaram a intenção de avançarem com propostas legislativas para limitar os salários dos gestores da Caixa e exigir que fiquem obrigados a apresentar a sua declaração de rendimentos.



(Notícia actualizada às 18:49)



A sua opinião29
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Jorge Vieira 25.10.2016

Mas o accionista não é o Estado? E quem é que o Estado representa? Não devia qualquer Português ter acesso a tais informações, tal como tem de outros gestores?

comentários mais recentes
JCG 26.10.2016

Lançar por aqui alguns desabafos não tem grandes resultados. É para o lado que os tipos dormem melhor. Quem efetivamente se indigna com estas coisas por razões séria e éticas deve é congeminar formas de condenação destas coisas com alguma acutilância e eficácia. Requerem-se sugestões.

IS 26.10.2016

O Governo do Dr Costa anuiu de boa vontade às condições impostas pelo Dr António Domingues antes da sua saída do BPI.

Alberto Trigueiros 25.10.2016

Então chama a porcaria dos acionistas para pagarem esta trapalhada da CGD. Não? Espera, o banco é publico? Então.. os acionistas somos nos? E não podemos escrutinar? Porra, és um belo camelo Centeno.

Maria Paiva 25.10.2016

Mas o acionista não é o estado? E o estado não somos todos nós?

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub